Pausa para a poesia

postado por Cleidiana Ramos @ 12:59 PM
14 de maio de 2009

Conheçam aqui um poema de autoria de  um dos participantes dos projetos inovadores que parte da PM baiana vem realizado via o seu Núcleo de Religiões Afro (Nafro):  o oficial da corporação, José Carlos Vaz Souza Miranda.  
  
Menino Negro  
 
Menino negro
Que tem cor de noite escura
E nessa noite em brumas
Um abrigo procura.
 
Menino
Nasceu negro
Na favela do mundo…
 
Menino negro
Não teve pai pra lhe sustentar
Não conheceu os carinhos de uma mãe:
Só arranhões, no corpo desnudado,
Só a angústia, no coração a sangrar.
 
Os olhares na rua
Atestam que o preconceito não morreu
E vive entranhado na sociedade
Condenando aquele menino
A ser réu sem liberdade
 
Menino negro
Não entrou na roda
Mas, com a força de seus braços,
Fez a roda girar.
 
Acorda Brasil,
Teu filho negro é quem te fala:
_ Não transforme o coração do mundo
Em uma grande e fria senzala!

Tags: , ,

Uma Resposta to “Pausa para a poesia”

  1. Pérola Anjos  Says:

    O menino negro precisa viver e não apenas sobreviver neste mundo cão, que julga pela cor.

    Forte e bonito!

Deixe seu comentário