O encontro do Bando com Ruth de Souza

postado por Cleidiana Ramos @ 11:13 AM
11 de dezembro de 2010

Jorge Washington e Ruth de Souza após apresentação do Bando no Rio de Janeiro. Foto: Divulgação

A passagem do Bando de Teatro Olodum, com o espetáculo Benção, pelo Rio de Janeiro, que se encerra amanhã, é marcada por sucesso e homenagens. Mas uma em especial tocou a companhia: a atriz Ruth de Souza não só assistiu a encenação, como foi até o camarim onde deu um depoimento que emocionou a turma:

“Assistir ao Bando me remete aos meus 17anos, quando comecei no teatro Experimental do Negro. Na época em que o negro não podia entrar no Copacabana Palace e fomos impedidos de nos apresentar-mos no Teatro Glória. Hoje quando vejo vocês no palco com toda essa energia, me vem a certeza de que nossa luta não foi em vão”, disse.

Jorge Washington, que me mandou o relato, disse, emocionado, o que significou a visita de Ruth: “Para nós, ouvir um relato desse nos dá certeza que estamos no caminho certo e vamos continuar pedindo ‘Bença’ aos nossos mais velhos”.

Tags: , , , ,

2 Respostas to “O encontro do Bando com Ruth de Souza”

  1. Roberto Muniz da Hora  Says:

    Ufa!!! Acompanho Ruth desde a novela a Cabana do pai Thomas. Sempre foi um exemplo do ORGULHO e do CARATER e a firmeza de que estava escrevendo a história do Negro, não importava o papel que estava passando para o público, ELA sabia que estava abrindo uma pagina na realidade do povo Negro. E o nosso estado soube unir todo esta energia que agora passa como BANDO. É muito emocionante. AXÉ

  2. Daniel Peixoto  Says:

    A atriz Rute de Souza, com certeza deixou um legado importantíssimo para os novos atores negros, e abriu caminhos na televisão e no cinema onde também foi premiada no 32º Festival de Gramado pela atuação no filme ” As filhas do Vento”, tempos em precisou enfrentar preconceito de diretores e da própria indústria cinematográfica, o que fez com muita tranquilidade e competência, ela é um ícone vivo da história da teledramaturgia e do cinema brasileiro. Axé minha Mãe Rute!

Deixe seu comentário