O desafio do ensino das culturas Afro e Indígena nas escolas

postado por Cleidiana Ramos @ 3:45 PM
1 de junho de 2009
Eugênia Ana dos Santos é um exemplo das escolas que conseguem cumprir a Lei 10639/03 com perfeição. Foto: Elói Corrêa | AG.  A TARDE

A Eugênia Anna dos Santos é um exemplo das escolas que conseguem cumprir a Lei 10639/03 com perfeição. Foto: Elói Corrêa | AG. A TARDE

O ensino de História da África e Cultura Afro-Brasileira nas escolas de todo o  país é obrigatorio segundo uma Lei promulgada há seis anos (10639/03).

No ano passado,  a legislação sofreu uma modificação ( Lei 11645/08) e  passou a obrigar também o ensino da História e Cultura Indígenas.

O problema é que a operacionalização continua lenta. Falta de material didático,  professores sem formação para abordar o tema adequadamente, dentre outros entraves costumam ser apontados pelos governos nas três categorias (municipal, estadual e federal) para explicar o não cumprimento da legislação nos moldes em que já devia  acontecer.

Salvador ao adotar,em 2005, a política de cumprimento da Lei foi a primeira capital do país a tomar esta medida. E para tornar realidade a promessa  nas escolas públicas da capital baiana não tem sido fácil. No universo das particulares então tem sido ainda mais vagaroso. Imaginem o desafio de fazer o mesmo em todo o território baiano.

Este assunto foi tema de uma matéria que saiu  no caderno Vestibular encartado na edição de hoje do jornal A TARDE.

A reportagem assinada por Nina Neves traz um apanhado sobre como os alunos enxergam a questão- eles acham positivo aprender a história do Brasil do ponto de visto de outras culturas que não a eurocentrista- e também sobre experiências para aplicação da legislação efetuadas na Bahia.

Como uma das queixas relacioandas ao cumprimento da Lei é falta de material de suporte fica aqui a sugestão de leitura para quem gosta e precisa acompanhar o tema.  

Tags: , , , ,

3 Respostas to “O desafio do ensino das culturas Afro e Indígena nas escolas”

  1. Kátia Lima  Says:

    Nada mais justo e óbvio do que a capital baiana ter sido a primeira a se posicionar em todo o país em relação a “nova disciplina”. Que existem dificuldades,todos nós sabemos,porém o mais importante já foi feito,COMEÇAR!!!É longo e árduo o caminho da “reparação” que precisa acontecer,não apenas para afro-brasileiros e indígenas,mas para toda a sociedade brasileira, que durante anos teve essa importante página da nossa história “colada” e muitas vezes deturpada.

  2. Jaime Luiz  Says:

    Oi pessoal, gostaria de utilizar a foto publicada na matéria: O desafio do ensino das culturas Afro e Indígena nas escolas. Para a capa de um livro sobre o ensinamento da cultura Afro-Brasileira nas escolas.
    Se for posíver, poderiam me enviar esta foto com melhor resolução.
    Obrigado;
    Jaime Luiz

  3. Cleidiana Ramos  Says:

    Jaime: as fotos utilizadas no blog, como as legendas indicam, pertencem à Agência A TARDE. Os direitos de publicação pertencem ao Grupo A TARDE. Você pode entrar em contato com o nosso setor de Fotografia para saber os procedimentos de cessão de uso de imagem (71)- 3340-8800. Abraços, Cleidiana.

Deixe seu comentário