Morre o professor Vivaldo da Costa Lima

postado por Cleidiana Ramos @ 10:26 AM
22 de setembro de 2010

Professor Vivaldo da Costa Lima foi um dos mais importantes intelectuais brasileiros. Foto: Fernando Vivas|Ag. A TARDE| 11.09.2008

Um dos mais importantes antropólogos do Brasil, Vivaldo da Costa Lima, professor emérito da Ufba, faleceu na manhã de hoje. Ele estava internado na Fundação Baiana de Cardiologia e ainda não foi definido o horário do velório e do sepultamento.

O profesor Vivaldo é autor de clássicos sobre a cultura afro-brasileira, como O Conceito de Nação nos Candomblés da Bahia e A  Família de Santo nos Candomblés Jejes-Nagôs da Bahia.

Além disso, o professor Vivaldo era um grande especialista em questões relacionadas à gastronomia afro-brasileira. Um dos seus últimos trabalhos foi um livro escrito a partir de conversas com a ialorixá Olga de Alaketu de quem foi compadre e amigo muito próximo, que ainda está no prelo.

Eu, particularmente, só o encontrei poucas vezes, mas já diálogavamos via as reportagens que eu escrevia no jornal e recados de amigos próximos.

Temia, sempre, a proximidade de uma entrevista, pois sempre soube da sua impaciência com jornalistas. Mas o encontro, que começou tenso, quando ele me perguntou se eu tinha tempo, cujo motivo só se revelou bem mais tarde, acabou rendendo uma da mais reveladoras e educativas conversas que já tive.

Poucas vezes, confesso, escrevo um texto de uma forma tão emocionada. Desculpem-me, mas o professor Vivaldo era daquelas pessoas que ao se encontrar uma vez não se esquece jamais.

Assim que tivermos mais informações vamos atualizando.

Tags: , ,

41 Respostas to “Morre o professor Vivaldo da Costa Lima”

  1. marcos santos  Says:

    é uma perda grande para o cenário cultura da Bahia e do Brasil, teve o privilégio de conversa com este peculiar senhor e grande Homem, pois quando trabalehei em uma livraria de grande porte. alem de atendelo com orgulho e satisfaçao, ele era educadissimo, e de uma simpatia singular. Mas vida continua!!! mais sem dúvida, sua sabedoria irá perpetuar nas nossa vidas

  2. Revista Muito » Blog Archive » “Minha paixão intelectual é o outro”  Says:

    [...] pesquisador Vivaldo da Costa Lima, um dos mais importantes antropólogos do Brasil, morreu na manhã de hoje. O repórter Marcos Dias teve o privilégio de conversar com o professor – [...]

  3. Jean  Says:

    Uma grande perda…

  4. Odenis Oliveira  Says:

    Aos familiares do prof. Vivaldo nossos mais sinceros sentimentos. Estaremos em oração pela sua alma.
    Odenis e família.

  5. Jurandy Sobrinho (Maxodi N'Ilê Asipa´  Says:

    …A Bahia esta de luto, com a perda lastimavel de mais um intelectual das ultimas decadas. Os Terreiros se vestem de branco para homenagiar o Ogá do Ilê Axé Opô Afonjá. OLORUN KOSÍ PURÊ Professor Vivaldo Costa Lima.

    Jurandy Sobrinho Ogá Ojú mesan Oyá Ilê Asé Opô Afonjá / Ojé Masodí N’Ilê Asipá

  6. Alexandre L'Omi L'Odò  Says:

    Lembro ainda da matéria dele no jornal de vocês… “Ijexá não e meramente um rítmo”… Foi ele mesmo que deu esta entrevista num foi?

    Bom… É uma perda grande, espero que a juventudo de hoje se inspire nestes mestres da academia para contribuir mais ainda com a desmistificaço e registro das tradições negro-indígenas de nosso país.

    L’Omi.

  7. dirce mendes  Says:

    LAMENTÁVEM NOTÍCIA.
    SENTIREMOS FALTA DE SUA CULTURA, PESQUISAS.
    MEUS SENTIMENTOS POR MIM E P TD A SUA FAMÍLIA.
    DIRCE

  8. Ana Pessoa de Castro  Says:

    O sepultamento será hoje às 16:30, no Cemitério do Campo Santo.

  9. paulo cosme  Says:

    Morre o pesquisador Vivaldo da Costa Lima… uma perdas irreparavel, perdemos um professor que ainda muito a nos ensinar.VIDA QUE SEGUE….
    rezamos por todos da familia.

  10. Gilmar de Azevedo Santos  Says:

    A Bahia perde um dos seus mais ilustre filho, homem do saber e do sabor afro brasileiro. Quer os Deusese conduza a alma deste grande homem para o mundo eterno com paz.

  11. elson oliveira  Says:

    estagiei no ipac quando o professor era diretor, tivemos muitos papos e alguns desentendimentos.
    Uma parte de uma certa bahia, está indo embora com este memorável intelectual

  12. Marlon Marcos  Says:

    É… Um símbolo, um mito que descobri aos 7 anos. Morria de medo e de admiração… Aprendi. Fui honrado com a presença dele algumas vezes. Estou certo do belo cumprimento de sua vida: foi íntegro, em defeitos muitos e em muitas qualidades também, ele foi Vivaldo da Costa Lima, patrono da escola em que comecei, quando criança, a aprender e a gostar de ler o mundo de várias maneiras… Meu silêncio saudoso e agradecido.

  13. Centro de Documentação do Pensamento Brasileiro  Says:

    Uma grande perda para a nossa Instituição como também para toda a Bahia.

  14. Antonio Jonas Dias Filho  Says:

    É uma perda irreparável. Vivaldo (como nós da turma de São Lázaro nos referíamos ao nosso mestre) foi responsável pela formação de muitas gerações. Chorei hoje pela manhã e tenho que terminar pois as lágrimas estão voltando.
    Adeus Velho Mestre
    Seu aluno
    Jonas

  15. ValdirEstrela  Says:

    Foi durante a sua gestão a frente do IPAC no início dos anos 90, que o mestre e grande inteletual e antropólogo Vivaldo da Costa Lima, se mostrou um importantíssimo aliado do movimento negro organizado. Várias entidades como o Ilê Aiyê, o Muzenza, a UNEGRO, entre outras, conquistaram suas sedes no Pelô. A este, que foi um dos mais profundos conhecedores e estudiosos das religiões de matriz africana particularmente do candomblé no Brasil, os eternos agradecimentos da comunidade negra baiana. Que todos os orixás te acolham no Orun, mestre Vivaldo.

  16. LUCIENE ARAGÃO  Says:

    Que Pena !!!

    Adimirava as suas ideias.
    Um forte abraço pra sua familia;

  17. Rodrigo Rangel  Says:

    Sei que ao contrario de nós, que estamos tristes com a sua perda aqui no àiyé,muitos que estão no òrun,o está recebendo com muita alegria e recordando a sua tragetória de grandes feitos e realizações em prol das Religiões de Matriz Africana.Alãfia.
    Rodrigo Rangel
    Taata e membro da Siobá.

  18. Carmen Lucia Vargas  Says:

    AXÉ VIVALDO

    Que os Deuses que regem o universo lhe acolham com o mesmo carinho e paixão que você soube acolher os seus amigos e as causas que abraçou como pesquisador, professor e intelectual comprometido com as suas raízes e o seu tempo. Ficam as lembranças e a saudade das aulas na UFBA e das andanças pelo Centro Histórico que você transformou em sua razão de viver. Daqui, de São Luis do Maranhão, a minha oração silenciosa e o meu adeus

  19. Antonio Moraes Ribeiro  Says:

    Lamento muito a morte do professor e antropologo Vivaldo da Costa Lima, um grande conhecedor da árvore genealogica das familias de santo da velha Bahia, além de ser um guardião dos segredos da gastronomia afro-brasileira. Um grande conhecedor a cultura africana no Novo Mundo.

  20. Cristina Rodrigues  Says:

    Estamos todos nós baianos de luto. O Bloco e o Grupo Olodum estão de luto. O Professor Vivaldo sempre foi e será pra nós o professor, muito além da sua cultura. Pelo muito que nos ensinou e aprendemos com ele, conselhos, informações, incentivando, apoiando, tirando nossas duvidas jovens sonhadores, nos mostrando o caminho certo, sendo um pouco pai de muitos de nós que tantas vezes com energia carinhosa nos mandava estudar, não ficar nas ruas. Às vezes nos deixa assustados, mas foi sempre uma fonte inspiradora. Quantas oportunidades dadas a adolescentes de uma comunidade que poderia não ter futuro. Um grande amigo.

  21. Zeno Millet  Says:

    Professor Vivaldo da Costa Lima.
    Se existe um ícone que resume a pluralidade e o conhecimento sobre a cultura da Bahia este é Vivaldo da Costa Lima. Irmão, sábio, presente, filho de Ogum. Que lacuna irremediavelmente abissal teremos a partir de hoje no nosso “panteão”, embora Vivaldo não acabe com o fim, porque nos deixou o DNA do conhecimento e da definição do termo Antropologia. Que tenhamos a honra de merecer o seu legado. Obrigado professor, amigo e irmão.

  22. Claudio Leal  Says:

    Cleidiana, Vivaldo da Costa Lima era também um grande leitor, desses que a nossa província se ressente. E um intelectual de pesquisar, efetivamente, o que escreve. Que sua biblioteca seja preservada na integridade. Para você e Marlon, uma perda do cacete. Pra mim, um diálogo interrompido prematuramente. Ninguém na linha. Bonito o seu gesto no Mundo Afro. Beijo grande.

  23. Marcelo Cerqueira  Says:

    Adieu, mon chér!

  24. Vanice  Says:

    Ao contrário de Marlon, tenho conhecido Vivaldo da Costa Lima através de Jeferson Bacelar e de Cláudio Pereira, com a leitura de “Vivaldo da Costa Lima, intérprete do afro-Brasil”. Grandes homens permanecem…Ele, em especial, pois bem soube dar vida à plenitude da sua ‘porção conquém’.

  25. José Luis Wensce  Says:

    Em breve sairá pela Editora Corrupio um conjunto de 4 obras do professor Vivaldo. Imperdível.

  26. Carlos Scorpião  Says:

    Polêmico e impaciente nas suas relações não deixou em nenhum momento que seu Conhecimento servisse de contribuição a quem interessado etivesse, conteudo transmitido com substância impar, que permacerá por muito tempo!Deixa um fosso profundo entre aqueles que têm informação da nossa afro-cultura, por muitos outros rejeitadas ou discrimadas, e aproveito para afirmar, que assim procederam e muitos ainda procederão, por falta de conteúdo sobre assunto tão profundo quanto tem sido e ainda o será, o Conhecimento nas diveras áreas,de etnias africanas para aqui trazidas por quem desde o primeiro momento da ocupação, buscou marginalizá-lo.É com pesar que recebo a informação da sua passagem. Que Olorum o receba no Orum com com as reverências que ele merece!

  27. Sergio Guedes  Says:

    Vivaldo era homem daqueles que se fabricam poucos. Avis rara!
    Amigo, querido e amado amigo. Integro servidor e administrador público. Visionário.
    A minha dor, como a dos que o conheceram de perto, é muito grande. Morto Vivaldo, viva Vivaldo!

  28. Carlos Scorpião  Says:

    Retifico: “não deixou em nenhum momento que seu conhecimento faltasse a quem interessado estivesse”.

  29. Jandira  Says:

    Uma grande perca no cenário afro brasileiro, em especial na nossa Bahia.

  30. jaime sodré  Says:

    Uma honra conviver e admirar este hoje ilutre ancestral de ensinamentos eternos, mestres de muitos nos quais me incluo.
    axé
    olorum modupê
    jaime sodré

  31. Octaviano Moniz Barreto  Says:

    Professor:voce vive no coração dos baianos!!!!!!!
    Obrigado pelos papos que tivemos e seu convite para instalar minha galeria no Pelô!Não vou falar do intelectual mas da perda de um Bahiano,escrito e descrito em caixa alta!
    Asé Tatau,seu irmão

  32. JOSE CARLOS LACERDA  Says:

    GRANDE PROFESSOR VIVALDO É COM SAUDADES E ALEGRIA TAMBÉM QUE PREZO A MEMÓRIA DÊSTE GRANDE MESTRE E ADORADOR DAS COISAS DA BAHIA,ME LEMBRO DE QUANDO AINDA ESTUDANTE NA UFBA,ÊLE EMPRESTOU-ME UM LIVRO DE ANTROPOLOGIA QUE FIQUEI DE DEVOLVÊ-LO,OH GRANDE MESTRE NÃO PUDE DEVOLVÊ-LO ATÉ HOJE,VOU GUARDA-LO NA MINHA BEBLIOTECA COM MUITO CARINHO POIS QUE POSSUI SUA ASSINATURA.SEI DA EXISTÊNCIA DE UM PRATO EM UM RESTAURANTE DE SALVADOR QUE LEVA O NOME DO MESTRE,POIS QUE ERA SEU PREFERIDO.ADEUS QUERIDO MESTRE.DE SEU EX-ALUNO. LACERDA.

  33. Alexandre L'Omi L'Odò  Says:

    O Orun se tornou mais inteligente com Vivaldo lá. Nele foram as insígneas de uma antropologia benéfica ao povo de terreiro. Axexê mojubá!

    L’Omi.

  34. Agnelo Neto  Says:

    Grande perda para a sociedade baiana.Perdemos um grande professor,antropologo e o grande incentivador da reforma do Pelourinho,na década de 90.

  35. luiz carlos borges  Says:

    “DR. VIVALDO”. Assim o chamavámos no meio de nossa familia e de quem fomos amigos.irmãos. Assim como de todos seus irmãos e irmãs.Como, ainda guardo em minhas lembranças, quando conheci Sr Paulo e de D. Senhora seus queridos pais, qdo ainda moravam na baixa do Bonfim.
    Uma personalidade intelectual internacional, humanista, defensor veemente da cultura afro-brasileira e um dos seus principais descendentes desta Bahia nossa e de todos seus Santos.

  36. jocenilton soares santos  Says:

    a perda de um homem só é muito grande quando esse individuo morre precocemente sem legar ao mundo a essência e o valor do seu pensamento,no caso do vivaldo,não temos uma perda grande,o que há é um sentimento de sensibilidade inenarrável,mas que apesar de tudo não deixa espaço para outro sentimento.- grande baiano,sua missão foi cumprida até a próxima vez!!!

  37. Lemba Caisy  Says:

    Essa perda é enorme
    em SP, tive o prazer de conhecer nos anos 70 e ter um bom papo de horas, lembro até hoje com saudades.

    Que Olorun o acolha e o coloque no lado dos mestres

  38. Escola Municipal Vivaldo da Costa Lima  Says:

    É com grande pesar e consternação, que Escola Municipal Vivaldo da Costa Lima, lamenta a morte desse grande professor e intelectual, que dá nome à nossa Unidade Escolar.
    Em nome da direção, alunos, funcionários da Escola Municipal Vivaldo da Costa Lima e comunidade do Pelourinho, prestamos nossas condolências aos familiares e amigos dessa ilustre amigo, professor e intelectual que muito fez pelo Pelourinho e nossa cidade.

  39. JOSEANE COPQUE  Says:

    NOSSOS SENTIMENTOS PELA PERDA DO NOSSO ILUSTRE PROFESSOR. A ESCOLA MUNICIPAL VIVALDO CSOTA LIMA, ENCONTRA-SE DE LUTO.

    JOSEANE COPQUE

  40. Orlando Filho  Says:

    Com a despedida, deste grande intelectual, o patrimônio Afro, fica mais carente.
    Valorizamos falsos heróis na história do nosso país e lembramos pouco daqueles que realmente sabiam enxergar a riqueza desta terra.

  41. Fernando Calderó  Says:

    Mi nombre es Fernando Calderón. soy cubano Chefe de Cozinha, etnologo e antroplogo cultural e pesquiso desde el año de 1994, la chamada cozinha de santos em perteneceinte al panteón afrocubano. En el año de 2006, tube el privelegio, después de mucha insistencia de vivir praticamente en la casa del Prof. Vivaldo da Costa Lima, durante 6 meses que duro mí presencia en Salvador de Bahia, en la busqueda de información sobre la cozinha de axé de aquel estado. Fui a través de él y gracias a su ayuda directa, que conoci de cerca a la grande Iyalorixa Mâe Estela dos Santos de Afonjá. Con el profesor Vivaldo da Costa Lima, conocí la Bahia y el impresionante trabajo realizado por él, en el Centro Histórico. Acredito que fui la última persona que tuvo el privilegio de tener asceso diario y durante los seis meses que duró mí trabajo de investigación a su acervo bibliográfico particular y su sala personal en donde conservaba uma maravillosa y voluminosa cantidad de certificados, diplomas y distinciones alcanzados a lo largo de su brillante y fructifera vida como intelectual.

    Y una relación que al inicio, fue bien dificil de a poco se fue tornando en una verdadera amistad. Vivaldo detrás de aquella apariencia de duron, escondia uno dos corazones más generosos que ya conocí en toda mí vida.

    Su amor por la que siempre fue su cocinera, por algunos de sus alunos, cuya visitas eran casis diarias.

    La muerte del Profesor Vivaldo da Costa, me llena de una profunda tristeza. Por razones ajenas a mí voluntad, nunca más pode voltar a la Bahia, só sabia de él, a traves de informaciones de los amigos de allá, porque detalle, nunca se intereso en aprender informatica, por lo que eso de escribir o utilizar computador no era con él. Su fiel escudero y amigo de muchos años, era guien se ocopaba de esos menesteres y da casis todo lo que tenia que ver con Vivaldo.

    La cultura Brasileira, pierde a uno de sus ilustres pesquisadores y la Bahia a uno de sus hijos más queridos y admirados. En cuanto yo a un grande amigo y profesor, que me enseñó a amar y adoptar a ese pedazo de Brasil, como mí segunda patria.

    Fernando Calderón. (Cuba).

Deixe seu comentário