Consciência Negra 2009: Salvador em festa

postado por Cleidiana Ramos @ 5:45 PM
19 de novembro de 2009

Presidente Lula participa das comemorações ao 20 de novembro em Salvador.Foto: AP Photo|Riccardo De Luca

Presidente Lula participa das comemorações ao 20 de novembro em Salvador.Foto: AP Photo|Riccardo De Luca

Passeio pela História

A partir das 11 horas de amanhã, no Palácio Arquiepiscopal (Praça da Sé) estará sendo inaugurada a exposição Para que não esqueçamos: o triunfo sobre a escravidão. A exposição foi doada à Fundação Pedro Calmon pela Unesco/ONU. A cerimônia terá a participação da banda Tambores da Raça, do compositor Adailton Poesia, da Banda Erê do Ilê Aiyê e do Grupo de Dança São Gonçalo.

A mostra é formada por 32 painéis ilustrativos com textos em português e inglês onde são retratadas imagens do povo negro e também as atrocidades cometidas pela escravidão.

A Fundação Pedro Calmon acrescentou à exposição a relação das 31 rebeliões escravas ocorridas na Bahia, no período que vai de 1807 a 1837, reveladas nas pesquisas do historiador João José Reis.Também será possível conferir a localização das comunidades remanescentes de quilombos espalhadas pela Bahia.

A exposição segue até o dia 4 do próximo mês e a entrada é gratuita. O objetivo do projeto é receber estudantes de escolas públicas de Salvador. No local serão realizadas palestras, exibição de filmes e atividades recreativas na Biblioteca Móvel. Uma equipe de bibliotecárias e arte educadoras vão estar orientado os trabalhos. A parceria da Fundação com o Ceafro possibilitou a participação de 18 estudantes cotistas da Ufba como monitores da exposição.

Lavagem aos pés de Zumbi

A partir das 13 horas, também na Praça da Sé, a Unegro, Olodum,  Male De Balê,  Muzenza,  Grucon e Associação das Baianas de Acarajé, Vendedoras de Mingau e Similares (Abam) realizam um ato público. A manifestação está sendo chamada de I Lavagem da Imagem de Zumbi dos Palmares.

O objetivo é chamar a atenção dos poderes públicos para adotar melhores cuidados com o monumento a Zumbi. Da Praça da Sé, o grupo segue para o Campo Grande onde vão ser apresentadas, em forma de manifesto público, as reivindicações de entidades do movimento negro baiano.

Marchas

Atenção quem vai participar das duas mais tradicionais marchas das da Consciência Negra:  a organizada pela Coordenação Nacional de Entidades Negras (Conen) sai do Campo Grande às 14 horas.

Já a patrocinada pelo Fórum de Entidades Negras sai da Liberdade às 15 horas. Todas as duas se dirigem para a Praça Castro Alves onde a partir das 14 horas acontece o ato público organizado pela Seppir, que vai contar com a participação do presidente Lula.

O presidente vai receber, durante a cerimônia, a Medalha Zumbi dos Palmares, condecoração da Câmara Municipal de Salvador. A homenagem foi proposta pela Conen e acolhida pelos vereadores.

Tags: , , , ,

8 Respostas to “Consciência Negra 2009: Salvador em festa”

  1. jucelia  Says:

    Vamos a luta, pois a mesma é arduá, conseguiremos, não aceitaremos mais a chibata, as correntes, as mordaças, o farelo, o cortiço, a miséria, o calar, vamos desatar os nós, andando nas passeatas, sorrindo, reivindicando, cantando Ylê, Olodum, Muzenza, saudando mais um dia de glória, em homenagem aos nossos antepassados. 20 DE NOVEMBRO, MOSTRE-SE NEGRO.

  2. Marcos  Says:

    A luta, não é só festejar um dia e esquecer os outros.Uma cidade que tem mais 80% de sua população negra e não tem um representante nos primeiros escalões nos governo municipais e estaduais é porque tem alguima coisa errada. È porque esse mesmo povo não vota em negros para o poder; como pode na atual democracia não termos um candidato negro a prefeitura de Salvador. e os vereadores são suficientes?”YES, WE CAN !

  3. EVANI  Says:

    EM UM ESTADO EM QUE A MAIOR CONCENTRAÇÃO DA POPULA É NEGRA, O DIA NÃO É FERIADO. NÃO PODEMOS TODOS EM MARCHA REINVIDICAR DIREITOS E SAUDAR ESTE DIA, QUANDO EM ALGUNS ESTADOS BRASILEIROS O DIA É LIVRE.

    A BAHIA CONTINUA NA ESCRAVIDÃO!!!!

  4. Noberto Augusto  Says:

    VALEUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUU
    ZUMBIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII!

  5. Carlúcia Carly  Says:

    Fico chateada em ver vários Estados e Municipios do Brasil terem como feriado esse dia imcoparavel em nossa Hisória, e a Bahia ficar de fora. Tenha dó? Ninguem merece!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    As autoridades locais deviam ter vergonha e decretar logo esse dia como feriado na Bahia, sendo tb que aqui no Campo Grande palco de todos os acontecimentos da cidade, se fecham as ruas, muda-se o trânsito e neste dia nada foi feito pelo menos no íncio do desfile nada vi, neste sentido, uma grande falta de respeito.
    São essas coisas que nos chateiam!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  6. R Noronha  Says:

    Devemos tornar dia 20/11 como um dia de reflexão sobre a situação em que os negros são discriminados, buscando assim meios de corrigir as diferenças . Feriado deve ser para datas cívicas de importancia geral e não atendendo a determinada etnía , credo religioso, categoria trabalhista , porque senão, por justiça teremos que criar dia do caboclo, do cafuso, do mulato, do caiçara, do portugues, do cigano, do gay, do cordeiro e ai ficaremos 365 sem ter o que fazer a não ser comemorar ou reivindicar. Temos sim que exigir do governo não e feriado nem cotas de qualquer natureza, mas sim, segurança, educação e saúde para todos independente de situação social, cor de pele pois só existe uma raça, a humana.

  7. diego  Says:

    amei muitoo esse dia tão especial pra todos os negros do mundo Salvador está de parabens com esse evento lindo

  8. João Silvino de Sousa  Says:

    Não poderia deixar de registrar minha indignação com relação a alguns fatos sobre preconceito e racismo, que infelizmente ainda persistem, tão profundamente ou de forma quase invisível nos meios sociais. Já presenciei cenas lamentáveis de discriminação de cor, mas não pude fazer nada devido a sua quase invisibilidade nas atitudes de quem a comete. As duplas mais famosas de dançarinas que fizeram sucesso na música, sendo uma loira e uma negra, quem mais aparece na mídia atualmente? São raríssimos os casos em que alguma intérprete de música é vista casando-se com algum cantor, compositor, produtor cultural, empresário artístico negro. Isso vale também para os intérpretes. Na verdade, todos se usufruem do talento, da arte dos negros, mas dificilmente querem fazer famílias. Quantas Paquitas negras nós conhecemos? Quantos apresentadores de programas de entretenimentos e de telejornalismo nós conhecemos? Quantos atores negros protagonizam filmes, novelas e seriados mostrados na televisão? Quantos negros são dentistas, médicos ou outros profissionais com diploma? Quantos negros ganham bem por serem talentosos? Uma atriz negra de talento que protagoniza uma novela, principalmente na rede Globo, aparece quase diferente para o grande público, nos hábitos, gestos e atitudes, que são direcionados para o mundo que não é seu. Num programa dominical de auditório o preconceito de cor é quase perceptível, quando o apresentador somente elogia a beleza branca, se esta tiver olhos coloridos melhor ainda. Na apresentação dos grupos de seleções para a copa do mundo de futebol na África do Sul, onde a maioria é formada por negros, preferiram uma atriz branca para fazer a cerimônia. O que demonstra um preconceito quase invisível. Enfim, o preconceito de cor ainda existe. Preconceito é um juízo preconcebido, manifestado geralmente na forma de uma atitude discriminatória perante pessoas, lugares ou tradições considerados diferentes ou “estranhos”. O ponto de partida do preconceito é uma generalização superficial. O racismo é a tendência do pensamento, ou do modo de pensar em que se dá grande importância à noção da existência de raças humanas distintas e superiores umas às outras. O racismo não é uma teoria científica, mas um conjunto de opiniões pré concebidas onde a principal função é valorizar as diferenças biológicas entre os seres humanos. Se prestarmos bem atenção, um pai e mãe brancos aceitam o namoro de uma filha ou filho com negro, mas que no subconsciente falam o que pensam, e as palavras quase invisíveis saltam os olhares, demonstrando assim o que não contradiz a tese de que o racismo e preconceito ainda existem, mesmo que de maneira invisível.

    João Silvino –

Deixe seu comentário