Cena de novela causa indignação

postado por Cleidiana Ramos @ 8:26 PM
17 de novembro de 2009
Taís Araújo ao lado do autor de Viver a Vida, Manoel Carlos. Foto: TV Globo|Rafael França

Taís Araújo ao lado do autor de Viver a Vida, Manoel Carlos. Foto: TV Globo|Rafael França

A cena da novela Viver a Vida em que o personagem de Lília Cabral, Tereza, humilha Helena, vivida por Taís Araújo, indignou várias pessoas . Via e-mail ou em sites especializados, lideranças do movimento negro estão expondo seu repúdio às  imagens exatamente na semana em que se comemora o Dia Nacional da Consciência negra.

Não poderia ser diferente, afinal Helena, negra, se ajoelha, chorosa, diante de uma enfurecida Tereza, branca, que lhe aplica um tapa no rosto.  A moça recebe o tapa e não reage.  Um assunto espinhoso e  uma cena forte.  O assunto, com certeza, vai render.

Tags: , , , ,

107 Respostas to “Cena de novela causa indignação”

  1. Catiane  Says:

    Sinceramente, esqueçam a cor da pele da personagem porque a cena, o tapa em si não se referia ao fato de ela ser negra e sim às ocorrências deveras fortes da trama.
    Eu sou negra e acredito que ‘aliviar’ para uma personagem por conta da cor do ator é racismo. Agora, se a personagem fosse agredida racialmente, aí sim caberia uma medida.
    Espero que o ‘Movimento Negro’ se ocupe de enlevar os estudos, o enriquecimento cultural, a não vulgaridade da mulher negra, o entendimento de seu valor diante da história de milhares de negros que resistiram às mazelas sofridas no passado. Espero que todos sintam orgulho de ser quem são e, assim como eu, de pele negra, entendam que não somos de uma raça, senão a humana. E a raça humana é composta por etnias. É isso.

  2. Nelma Barbosa  Says:

    Essa personagem do Manoel Carlos é realmente (in)crível: uma mulher NEGRA que, como manda o estereótipo, venceu na vida por seus atributos físicos (Notem que as Helenas anteriores dele sempre tinham uma profissão intelectualizada. Coincidência??). E o mais (in)crível: ela frequenta a alta sociedade e nunca sofreu racismo…A cena humilhante dessa Helena demonstra o quão servil deseja-se a mulher negra na sociedade. Helena se culpa por ter reagido as ofensas da menina branca, rica e mimada. Ora, Luciana é insuportável de chata, mas é branca. Logo, a negra deveria engolir calada as ofensas da moça?? Deveria aceitar tudo calada e “ficar no seu lugar” de servidão, passivamente?? Tá certo que é ficção, mas essas imagens tem uma força muito grande, principalmente entre nossas crianças e adolescentes que estão forjando seus valores e sonhos.O movimento social negro deve se posicionar, simmm! Nossas meninas e meninos não podem continuar se inspirando em exemplos negativos quanto estes…Precisamos de heroínas negras de verdade!!

  3. Josafá M. Araújo  Says:

    Prezados/as, em plena semana da Consciência Negra, a Rede Globo de Televisão vem expor o seu pensamento racial numa das cenas da novela Viver a Vida. É incrível como a forma como os autores e roteiristas da novela expõe a de forma vergonhosa o posicionamento da emissora frente a essa questão.

    A Globo é racista sim e usa esse canal público para deflagrar o seu posicionamento racial. Uma outra questão que não estamos levando em conta é o fato da Globo, através das personagens Luciana e Tereza, defender publicamente um dos temas debatidos atualmente no âmbito nacional. A criminalização das mulheres negras por terem em algum momento realizado um aborto.

    Toda “trama” da novela começa com a briga entre Helena e Luciana. Até o momento em que a patricinha, branca, racista Luciana encurrala Helena com a indagação que ela realizara em um dado momento um aborto. Percebam que em momento algum os autores tratam o assunto nessa novela.

    São pensamentos assim que percebemos quando alguém toma partido por dado assunto. Estou encaminhando um breve relato feito por Valdélio Silva, professor da Universidade do Estado da Bahia e militante do Movimento Negro. Seu curto texto é bastante enfático e expõe uma forma correta de como no nosso povo deveria ser tratado.

    No mês da Consciência Negra precisamos de muito mais do que ações precisamos sim de posicionamentos coerentes, tendo alusão à valorização dos nossos valores e a história de resistência do nosso povo.

    Se um corpo negro tomba, não podemos ficar parados/as vendo ele cair por terra. Cuidemos dos/as nossos/as.
    Tomemos conta dos/as nossos/as.
    Essa não é a forma de Viver a vida.

    Segue o texto do Professor Valdélio Silva…

    Boa leitura
    ………………………………….x……………………………..

    Caros e caras,

    Pena que não tenha tempo para comentar como mais vagar a cena na novela da Globo em que Thaís Araújo é protagonista. Mas, vou falar alguma coisa.

    É uma perversidade dos novelistas da emissora produzir, especialmente nesta Semana da Consciência Negra, uma cena em que uma mulher negra (Helena, na novela) é colocada na condição degradante, submissa e humilhante diante de uma branca que a olha de cima com todo o desprezo que o rancor racista pode incutir em alguém.

    Além de chorar e pedir perdão por um ato que ela não tem responsabilidade, a cena choca porque a personagem negra é compelida a atribuir a si toda a culpa pelo acidente do qual ela não está diretamente associada.

    Na verdade, o seu sentimento de culpa é decorrente não do acidente em si, mas sim por estar sentindo que o lugar social que ela se encontra não lhe é adequado e, conseqüentemente, não deveria estar, ou seja, fazendo parte de uma família branca. Por essa razão é que ela chora, chora por ter magoado duplamente os brancos: pertencer a uma família branca e ter supostamente contribuído para o acidente da mimada, grosseira e racista menina branca.

    A mãe de menina sabe que materialmente ela não tem culpa, mas, exige que ela pague pelo acidente com a pena de morte da humilhação, do sofrimento e da submissão mais abjeta: prostar-se ao chão de joelhos, pedir perdão e declarar ao mundo que é este o lugar do negro diante do branco. Eu nunca vi na televisão algo tão aviltante com o nosso povo como essa cena.

    No dia a dia da consciência negra é preciso que a gente diga pelo menos algumas coisas para as nossas crianças, aos jovens, aos adultos e anciões negros: NÃO DEIXEMOS A NOSSA DIGNIDADE SER PISADA PELOS BRANCOS! VAMOS LEVANTAR OS OMBROS E OS OLHOS E DIZER, SEM CHORAR: NÃO ACEITAMOS MAIS HUMILHAÇÃO! NÃO ACEITAMOS MAIS PROTAGONIZAR PAPÉIS QUE DEGRADAM A NOSSA CULTURA E A NOSSA CIVILIZAÇÃO! SAIAM DO NOSSO CAMINHO PORQUE VAMOS PASSAR! QUEIRAM OU NÃO!

    Abraços,
    Valdélio

  4. jair  Says:

    não encarei a cena como racista, mas confesso que a cena do ponto de vista humano foi de pessimo gosto ate que ponto se sentir culpada por uma coisa que não causou pois somos culpados pelos nossos atos no caso da Luciana ele mesma é responsavel pela suas atitudes e quem semeia vento colhe tempestande, nenhuma pessoa de sã conciencia se humalharia tanto quanto Helena (de Tais Araujo ) que por sinal esta excelente no personagem o que as pessoas deveria se preocupar com a dignidade humana o que foi tirado da Helena, a cena foi deprimente um acertos de contas sem motivos e a pose da Tereza (futil) não teve uma logica vamos ver até que ponto o autor vai descurtir tal assunto.

  5. Renata Dias  Says:

    Catiane, acorde. A cena da novela ontem reforçou, em pleno horário nobre da Globo, o arquétipo da mulher negra que se submete aos caprichos – e às agressões – da branca. É a mesma lógica perversa dos programas sensacionalistas locais – o reforço de uma imagem que foi perpetuada durante séculos estabelecendo uma condição que o Movimento Negro luta diariamente para que seja rechaçada, abominada, tratada, reparada. Trata-se, mais uma vez, do nível requintado do neo racismo. É o sofismo da mídia contemporânea.

  6. Ailton Júnior  Says:

    Mas creio que todos nós negros saibamos disso, q somos todos humanos …Porém todo “desamparo”, independentemente de seu âmbito, principalmente se tratando do nosso país, só é combatido, e nem sempre, a partir de recriminação. Estou certo de que o autor dessa novela traz uma negra como protagonista, mas também estou certo (ou errado) em “desconfiar” do real objetivo relacionado a essa “inovação” no horário nobre, devo achar que é bom. É no nosso contexto de negros sofridos, sem chorô-rô, de cotidiano erguido por pilastras da sobrevivência, de receptivos questionamentos ópticos, que sempre, por mais que estejamos acostumados, nos enfraquece ou fortalece, que o tal fato nos deixa a ponto de crítica. Mas a felicidade termina por se atrelar, e o riso já é a cultura popular daquele negro que não sofre. Cenas como essa da novela, trazem opiniões adversas, porque cada um tira sua interpretação, e vai depender do seu contexto, e tudo é assim, é a democracia propriamente dita, com a educação e seu nivelamento em forma de pirâmide com base desfavorecida muito larga, mas que não haja sensacionalismo. Essa cena mexeu comigo!

  7. Paulo José  Says:

    Pois é.Engraçado,ou triste,não?
    Tapas,humilhações,agressões verbais.
    E isso,faz parte da trama,que é forte?Prá quem?
    Esquecer a cor da pele da personagem????Como???
    “Quer saber o que é racismo,seja negro(a) por 48 horas”.
    Luislinda Valois. (juíza)

  8. cláudia  Says:

    concordo plenamente com a Ticiane!!! tb sou Negra, e não ví , a cena como humilante por Helena ser negra. prova porém o qt a Tereza é rídicula!!! e aLuciana tem bem a quem puxar!!! arrogante, mimada e não tá acostumada a ser contrariada.Helena sim deu um show de humildade…

  9. cláudia  Says:

    Nossa errei é Catiane o nome da garota, que fez o coméntario anterior, kkkkkkk

  10. caranguejota  Says:

    Não entendo o que é que uma coisa tem a ver com a outra. Helena não revidou a bofetada por ser negra. deixou se esbofetear por se sentir culpada. Problemas como esse acontecem na vida das pessoas, quando estamos frageis e sentindo nos culpadas, muitas vezes deixamos que as pessoas nos magoem ainda mais. Qualquer pessoa que tenha passado por uma situação de extrema fragilidade sabe que existem pessoas que se aproveitam destes momentos e nos colocam ainda mais para baixo, Teresa defendendo sua filha aproveitou esta situação em que ela teria teoricamente mais direito do que Helena, mesmo sendo um momento dificil e doloroso foi um momento de poder para Teresa e ela não desperdiçou.
    O movimento negro tem de se preocupar em defender igualdade de direitos e oportunidades nos vários sectores da sociedade, e não levantar bandeira de racismo num cenário nada a ver. Taís araujo é só por ela uma bandeira e um exemplo de uma mulher que foi a primeira atrizr negra a fazer imensas coisas.
    Agora a cena foi apelativa por si só, não por helena ser negra, mas porque Manoel Carlos está desesperado para criar empatia com o publico. Uma dica para ele: Helena deve sofrer sim, mas deve lutar mais, deve mostrar se mais guerreira. outra dica: Helena deve falar, nunca vi protagonista sem falas como essa.

  11. lamauri  Says:

    Mi sentir ameaçado, desde que li em uma revista esta cena iria ao ar , apois o jornal mudei de canal e tenho certeza que muita pesso fez o mesmo. SEMPRE A GLOBO.

  12. simone lima  Says:

    novela ruim sem nenhum propósito dá nisso. não assisto. não tem enredo uma negra sem nenhuma consciência negra que vive a bajular a família branca do marido para se sentir inserida!Bah!

  13. Rosivalda Barreto  Says:

    Infelizmente o racismo no Brasil é tão diluído que nem os negros percebem quando estão sendo vítimas dele. O movimento negro está revelando indignação e até as pessoas não negras porque sabem que o papel que foi imputado a mulher negra na sociedade brasileira foi de submissão, ama-de-leite, empregada doméstica, e cuidadora que coube a Helena muito bem como a da filha ridícula do seu esposo; culpada por um aborto. As mulheres brancas podem optar por um aborto sem culpa a negra não estas morrem aos montes por serem em sua maioria pobre e fadada a não gerar mais negros. Helena é culpada por esta opção em que milhares de mulheres negras no mundo sofre por não ter condições financeiras para fazê-lo em clínicas especializadas e falha também como cuidadora por tanto merece apanhar na cara. Assim como o papel de homem negro como animal no sexo, novela das 7 e marginal na novela das 8. Helena negra mulher casada com homem branco bem sucedido e a sua irmã com um homem negro marginal. Porque o namorado de sua irmã não é um homem branco também e marginal. Porque o papel do homem negro e gigolô, trapaceiro (marido de Camila Pitanga) novela das 7. Este também é o papel de homem negro representado na trama da novela da Globo. Não seria isto a perpetuação dos papéis imputados a homem negro e mulher negra. Porque a maioria dos atores e atrizes, das apresentadoras(es) de TV, modelos são brancos(as) num país de maioria negra? Porque os negros não ocupam lugar de destaque nas empresas? Tristemente, só nós brasileiros somos míope ao não enxergar o racismo explícito em nosso país. Também ficamos aqui na nossa pobreza engolindo tudo que as redes de TV nos fala, não saímos deste nosso mundo racista, vivemos imbuídos nele e não temos a medida do quanto somos discriminados no cotidiano. Precisamos ter mais discernimento, ler um pouco o que o pessoal no movimento negro lê e os resultados das pesquisas nos Centros de Estudos Étnicos para deixarmos de ser ignorantes e não passar vergonha fora do pais pensando que somos brancos, digo isto aos negros de pele clara que pensam ser morenos ou brancos.

  14. Pablo Maia  Says:

    Catiane, será que se os papéis dos personagem que protagonizaram a cena fossem invertidos aconteceria o mesmo?

  15. Hélio Mendes Cazuquel/FUNDAÇÃO INSTITUTO DE DIREITOS HUMANOS  Says:

    Não podemos esquecer o que somos. Se somos negros, se somos brancos, se somos amarelos, se somos índios. Somos o que somos, seres humanos.
    Ocorre, que os movimentos negros tem toda razão. O autor colocaria uma mulher branca para fazer aquele papel? A personagem branca exacerbou-se, foi perversa, preconceituosa, racista. Que razão teve a personagem branca para proceder daquela forma? Jamais qualquer ato deva provocar revanchismo, que não é o caso em comento. Acredito que o autor foi infeliz ou provocativo nessa cena. Ajoelhar-se nem por amor. Ajoelhar-se só por adoração a si próprio, a sua própria dignidade. O ser humano deve ajoelhar-se diante do espelho para contemplar a sua infinitude, a sua essência, a sua supremacia no universo, no mais o ser humano deve sempre se erguer para justificar os seus erros, as suas virtudes, a sua condição humana.
    Olha Manoel Carlos! A vida é como é a vida, então vamo viver a vida na busca incessante da compreensão humana.
    Até mais …

  16. osmar  Says:

    Minha Cara….!!! Bom dia……há meses atrás vc neste seu,(nosso) espaço..sinalizou que era um fato de uma certa “relevanicia” termos uma “Helena ” personagem deste querido (lá deles) autor de novelas do dito cotidiano brasileiro……negra….eu,lhe enviei um comentario sobre o que achava,…..pois ai está …a resposta dada a todos nós……será que foi um “tapinha” na cara da(o) pesonagem……..será que é isso que nos reserva a tv? :porteiros…..,empregadas “engraçadas” .marginais de toda especie…..ou então uma negra “gostosa” ou um “negão” reprodutor…..? fico aqui pensando que triste avanço é esse…..lamentavel …espero para que os que “acham” que um pedaço do leblon no tão lindo Rio de Janeiro…que tenta “resolver” todas as nossa mazelas..com doses ..diarias de discurso simplista e alienado..teham dispertado..com esse ” tapinha”…que doeu na cara de alguns…..e nem foi sentido na cara de tantos…….

  17. Neiva  Says:

    Concordo plenamente com Catiane, a humilhação que Helena sofreu não deve ao fato dela ser negra. Pois em muitas cenas de novela já vimos mulheres brancas se ajoelhando.

  18. Mayana  Says:

    Cara Cristiane,
    Ao que parece você é uma pessoa muito inteligente, então sabe que o racismo no Brasil é algo “maquiado”, portanto tenho minhas sinceras duvidas de que a cena se tratasse apenas de Tereza devolvendo o tapa na Helena pura e simplesmente. Fiquei indignada com a cena, ja até imaginando as caras das peruas do tipo da Tereza assistindo aquilo e se vangloriando. Creio que a cena foi uma forma de ratificar o racismo e de lembrar ao negro sua posição, quem sabe não queiram restaurar a escravidão negra? Só faltou a Tereza colocar a Helena no tronco e bater com um chicote. O autor não tinha cena pior para mostrar na televisão com certeza. Talvez eu esteja errada e a real intenção dele não fosse essa, mas é que estou sempre lendo as entrelinhas da HISTÓRIA, considero que essa é unica maneira de compreende-la de fato.

    Saudações Negras!
    Cyd Mayana

  19. Adriana  Says:

    Vale lembrar que em cena de capítulo anterior foi Helena, a personagem negra, quem deu o tapa na cara de uma personagem branca.

    O movimento negro preciso evoluir e muito. Há pouquíssima atuação política e muito envolvimento em polêmicas que fogem completamente ao foco da questão racial.

  20. luciana brito  Says:

    A Helena Negra posta “no seu lugar”.
    Os dias de glamour da primeira Helena negra foram poucos. No capítulo de ontem, numa cena que fazia uma alusão direta à noção de soberania branca, a personagem negra se ajoelha aos pés da mulher branca e pede perdão. Após isso, dotada de toda autoridade, a “mãe branca e zelosa” dirige um violento tapa na cara na personagem negra que resignadamente aceita a punição. A cena chocou diversas pessoas. No caso particular das mulheres negras, todas se recusaram a se reconhecer daquela forma e se revoltam contra aquela atitude submissa e passiva diante da violência racial. Aquela cena teve uma repercussão desastrosa em cada uma de nós. A postura submissa da Helena negra vai contra a forma como
    hoje, e sempre, reagimos à violência racial e ao autoritarismo, seja pelo amparo da lei, seja impondo respeito diante daquele ou daquela que insiste em rememorar os tempos da escravidão, cobrando de nós o eterno deferimento e subserviência. Assim, a trama da novela vai contra a política e debates atuais que visam a igualdade de direitos e a postura autônoma que praticamos no nosso cotidiano e ensinamos a nossas jovens e crianças negras. A cena de ontem também vai contra os argumentos daqueles que se negam a admitir a existência do racismo no Brasil, que se afirma no imaginário do autor. O capítulo de ontem, por si só, fala da insistente crueldade da elite brasileira de negar o problema do racismo ao mesmo tempo em que, de maneira nefasta, não abre mão de se manter numa posição privilegiada. A Helena negra é culpada por ter abortado, por ter casado com um homem branco e por não ter “cuidado” devidamente da enteada, numa relação que
    muito nos lembra mucama e sinhazinha. Não só Helena, mas também a personagem da atriz Sheron Menezes tem a mesmo postura submissa, que paga (literalmente)um alto preço para estar com um homem branco. Ambas sucumbem diante da supremacia branca retratada na televisão brasileira, ambas não tem dignidade e não representam a luta cotidiana dos homens e mulheres negras que diariamente enfrentam o racismo neste país. Ao que me parece, é muito difícil para a dramaturgia brasileira esconder este ranço ordinário da mentalidade escravocrata e racista.
    Luciana Brito
    Mestre em História UNICAMP
    Movimento Negro Unificado-Bahia

  21. marizete couto  Says:

    Desliguei imediato a tv e passei o resto da noite indignada perguntando a mim mesma,ainda existe isso?

  22. Carla  Says:

    Concordo com a posição de Luciana Brito.
    E acho que a mídia insiste em mascarar o preconceito racial. Infelizmente em pleno século XXI deveríamos termos outra postura… mas acredito que a luta pela igualdade racial é algo que iremos lutar ainda muitos e muitos anos.

  23. maria isabel  Says:

    GOSTARIA DE SABER POR QUE ULTIMAMENTE “EM TODAS AS NOVELAS DAS 09:00″ TEM DE HAVER UMA CENA DE VIOLENCIA FÍSICA ENTRE A VILÃ E A MOCINHA???????????????????????????????????????????? Na última (Caminho das Indias) quem apanhava era a Ivoni, na anterior era a personagem da Patricia Pilar, e por ai vai. Porque????????????????????????????? Seria muito bom incentivar a cultura da PAZ

  24. dayana  Says:

    E se o personagem Tereza fosse negra, helena poderia se ajoelhar e levar um tapa no rosto?

  25. Renata  Says:

    O autor Manoel Carlos sempre foi preconceituoso, não só com negros, mas com as pessoas de baixa renda. Em suas tramas, estes personagens dificilmente crescem na vida. A vidinha de Manoel Carlos se restringe ao glamour dos ricos do Rio de Janeiro e ao egoísmo do dinheiro

  26. Aline  Says:

    A cena foi humilhante independente da cor da personagem Helena. Precisamos ficar atento as novelas da Globo e outros programas de TV diante ao apelo a todo instante da destruição do conceito familia, liberdade de credo e racismo seja contra o negro ou contra o branco. o que temos que ver é que independente de cor ,raça, classe social e credo somos todos iguais ou seja temos direitos e deveres iguais assegurados em nossa Constituição e na Declaração de direitos humanos e que nenhum movimento luta para que els sejam cumpridos pela classe governante.
    Vamos lutar sim para que todos nós: tenhamos direitos ao que nos é garantido em nossas leis.
    E abominar todo tipo de preconceitos

  27. VANESSA  Says:

    Não consigui expressar os meus sentimentos (RAIVA) diante aquela cena humilhante. Simplismente chorei

  28. Priscila Reis  Says:

    A cena me deixou bastante triste e indignada. Como hoje ainda pode prevalecer certos tipos de comportamentos! Helena não precisava ter se humilhado pra ninguém, principalmente ter se ajoelhado. Se era para ter tapas…que fosse de pé e com direito a reciprocidade . A trama perdeu grandes pontos para mim, reforçando a idéia de que negro deve ser submisso ao branco!

  29. ieda  Says:

    Fiquei estarrecida e indignada com a cena, realmente foi muito forte e desnecessaria, achjo que qualquer pessoa “na vida real” teria reagido a atitude da personagem Tereza. Acho que foi humilhante para o personagem deixando claro que o negro na televisão brasileira têm sempre que abaixar a cabeça para personagens brancas, em uma demonstração clara de Racismo…

  30. yara  Says:

    Achei um exagêro aquela cena em que Helena se ajoelha diante de Tereza! Não ví como uma questão racial e sim como um grande equívoco! Tudo que é demais;, exagerado ,fere a nossa comprensão! Imagino que a grande maioria negra se indignou com o pseudo propósito da novela; mas o autor Manoel Carlos, por certo não pensou em ferir ou causar polêmicas com a cena; a sra.Taís é uma atriz fantástica, esforçada e vai seguir em frente, com Helenas ou não! É preciso que cada um faça o melhor de sí , com a certeza de que somos todos filhos do mesmo Pai…e Este, nunca nos demonstrou ser desta ou daquela raça! Que todos se unam e deixem de lado coisas que já fazem parte do passado!

  31. Andréa  Says:

    Olha, eu concordo com a opinião da Catiane, nesse caso. Agora que a Rede Globo é extremamente racista, isso não tenho dúvida. Basta ver quantos atores negros ela tem nas novelas e que posições eles ocupam. Além disso, quantas mulheres negras aparecem nos seus programas de auditório?

  32. paulo  Says:

    uma vergonha, deu nojo em ver essa parte da novela, com isso decidi nao assistir mais!

  33. Isabel  Says:

    Gostei Catiane. Concordo plenamente com vc. Eu também odiei a cena, achei Helena superfraca,porém não achei uma atitude racista não. Concordo também sobre a ocupação do”Movimento Negro”. Bjos….

  34. Brenno Henry  Says:

    VAmos contextualizar a cena para entendê-la. Não tem nada a ver com a questão racial. Que se tenha consciência em tempos de consciência negra.

  35. Alina Maia  Says:

    A imagem da mulher negra mais uma vez é deturpada e manipulada para caber na trama racista desenrolada pela Globo. Há um exagero na construção da personagem de Thaís, desde suas concepções religiosas, reiterada como católica, até seu conformismo como negra que venceu graças a atributos físicos e algum talento.

    A personagem não tem profissão, não é contada sua história real a ponto de valorizar sua ascensão de classe. O autor marca o perfil psicológico de Helena como conformada, passiva, culpada e o estereótipo é o que mais se destaca nos diálogos com a oponente. A marca do racismo está normalizada e o pior, sem resposta imediata, sem nenhuma satisfação de educação étnico-racial.

    Estou chocada com a representação de Helena. Espero que a reação a esta forma de ver a mulher negra, modelo, brasileira, tome um outro rumo, capaz de educar por meio de um veículo tão importante como é a TV.

    Este tipo de visão em novela, “amarra culturalmente o Brasil, quando deveríamos mostrar que Helena consegue se igualar as brancas sem carregar os ranços.

    E não é so isso, na novela das 7, Caras e Bocas, a personagem Caco, agora modelo, também está deturpada. A revolta da familia de sua namorada com ele é tema principal da novela e a todo o instante sua cor é reiterada. A Globo precisa pedir desculpas ao Brasil.

  36. Joao Paulo  Says:

    Acredito que em meio a achismos, crenças e idéias ingênuas a (g)lobo, com o G minúsculo mesmo, conseguiu o que queria, provocar polêmica e somar audiência. Sem dúvida o autor, planejou a cena e o momento da exibição. O mais degradante é saber que, a globo racista, e isso é fato, basta ver sua história para tirar conclusões, se utiliza de um meio publico, para afirmar suas convicções, pois se não fossem o autor com certeza seria demitido, e fazer a sociedade ainda acreditar, e vocês vão ver implícito ou explicito nas respostas da emissora ou autor, que racismo é só uma coisa que puseram em nossas cabeças!

    Como diz Saramago: “A democracia é posta num altar como santa imaculada..” quando poderemos discuti-la afinal?

    Fica aqui a minha revolta!

  37. Eliza  Says:

    Realmente, na sena a Teresa diz no tom de ironia que a Helena, tem tudo que sempre quis “Saiu da pobreza, conseguiu subi na carreira mesmo com o preconceito da cor, e marido rico”… Depois Helena se ajoelha e leva um tapa….Foi ridículo essa sena em especial na semana da consciência negra.

  38. Jailton Santos  Says:

    Olá Catiane
    Saudações!!

    Até pensei em comentar o assunto em questão. Porem ao lê o seu comentário.., verifiquei que não tinha mais nada para acrescentar.

    Acho que a sua colocação foi completa.., foi perfeita.

    Parabéns.

  39. Antonio Henrique  Says:

    Bom dia! Lamentavelmente a cena é humilhante; infelizmente a diversas formas de prática de racismo, esta é uma delas. Veja nos setores da sociedade, principalmente em Salvador, existe prática racista, entre nas lojas de departamentos dos shopping, nos bancos privados, e etc. Infelizemente algumas pessoas da raça negra não assume a negritude, a cor da pele, e não querem enxegar as várias maneiras e formas de práticas racistas; é lógico que a Globo, numa cena de novela, jamais o personagem iria proferir palavras com ofensas racistas;

  40. elias  Says:

    Desculpem aqueles que dizem não enxergar o racismo nas cenas de novelas e outras situações similares, pois isso é simplesmente falta de capacidade de entender as entrelinhas, aquilo que fica subentendido nas práticas sociais de diversas instituições e pessoas.
    Além disso tal situação pode ser observada em outras novelas, apartir de outros personagens como o ” Foguinho ” aquela da ” Cor do pecado” etc.
    desliguem a Tv. Não consumam os produtos dessa mídia ridícula.

  41. Maria Marise  Says:

    HELENA TEM MÃE ?

    Luciana mereceu receber um tapa por desrespeitar a privacidade de uma pessoa.
    Tereza reagiu de forma coerente com uma pessoa que criou uma filha invejosa e mimada e outra perversa e promíscua.

    Estou esperando ver a reação da mãe de Helena, que até o momento não está ao lado da filha ! Ela também deveria ter o direito de devolver o tapa …

    A questão é: O que o autor entende do universo negro ?

  42. Ravena  Says:

    Tamanho desrespeito à dignidade humana vai ao ar no horário nobre, enquanto a sociedade assiste passiva à degradação e humilhação. Ajoelhar-se é um ato de reverência destinado apenas ao sagrado. Uma cena em que um ser humano se ajoelha diante de outro é um sintoma de completa falta de Deus (independente da religião). Uma verdadeiro absurdo! Como se já não bastasse, na vida real, tantas pessoas que acreditam ser melhores que as outras.

  43. Antonio Henrique  Says:

    Bom dia! Lamentavelmente a cena é humilhante; infelizmente a diversas formas de prática de racismo, esta é uma delas. Veja nos setores da sociedade, principalmente em Salvador, existe prática racista, entre nas lojas de departamentos dos shopping, nos bancos privados, e etc. Infelizemente algumas pessoas da raça negra não assume a negritude, a cor da pele, e não querem enxegar as várias maneiras e formas de práticas racistas; é lógico que a Globo, numa cena de novela, jamais o personagem iria proferir palavras com ofensas racistas.

  44. Ana Marta  Says:

    Catiane e seus simpatizantes que me perdoem, mas você está mesmo sendo ingênua, embora respeite sua postura de não se achar discriminada. Acontece que o problema perpassa muito mais pelo que verdadeiramente fica marcado na cabeça das pessoas no geral e não pelo que cada um individualmente sente. Não interessa se a Helena se acha culpada ou está fragilizada, a sua personagem por si só é surreal, como bem ressaltou outra leitora aqui, a Nelma Barbosa. Como uma Helena negra, vive em meio a brancos elitizados e não se toca em momento algum na questão preconceito. Aliás, isso só reforça o que ocorre na nossa realidade brasileira, o racismo velado: ninguém toca no assunto, todo mundo finge que não existe, mas ele está lá. E incomoda. Incomoda tanto que quando uma cena dessas vem à tona e o que fica no inconsciente coletivo é essa idéia de prostração da negra em favor da branca, ele emerge com fúria. Se, particularmente, já não tolero a velha fórmula superficialista, rasa e previsível dos roteiros do “maneco” da rede “gruebo” (como chacoteia Cristian Pior, da Rede TV!), agora é que desgosto mais ainda. Pobre Maneco, pobre de espírito e infeliz na sua escolha forjada de uma Helena negra que venceu na vida porque é bonitona. Mas, mais pobres ainda ficam aqueles desprovidos de outra fonte de entretenimento para além da teledramaturgia brasileira, ou seja, a grande massa… Como diria o saudoso – e negro! – Tião Macalé: “nojento!”

  45. Vagner  Says:

    Acredito que Zito Araújo terá que fazer um novo documentário focando só os problemas desssa novela racista.

    “A Negação do Brasil 2″ poderia ter também uma análise sobre “A Cor do Pecado” e “Cobras e Lagartos”.

    Quem sabe assim, as pessoas não acordam…

  46. Carla Cassimiro  Says:

    As pessoas que não encaram a cena como racista é simplemente por que não vivenciam o racismo ou não vivenciaram nunca, na certa são brancas e portanto não se veem lesadas nem se veem na mesma situação que muitas mulheres negras e homens negros nesse país.

    O Fator cor é mencioando durante a cena pela atriz Lilian Cabral e mesmo não sendo estamos falando de simbolismo da cena que vai além dos então “bons propositos” do autor. E a globo tem exatamente a consciencia do seu papel enquanto formadora de opinião.

    Mas uma vez ela vai direcionar o debate racial de forma a tentar ludibriar a opinião publica, ou pela negação da existencia do racismo brasileiro, ou pela a edificação de uma rascimo onde os negros que o inventaram e vivem numa paranóia racial.

    Fazendo a população brasileria a acredita que somos nós negros e negras os racista, como se existisse racismo ao contrário.É salutar lembrarmos que não estamos lidando com leigos e nem muito menos com inocentes.

    Cenas como estas nos mostram o quanto se modernizou o Capitão do Mato que agora usa os meios de comunicação para chicotear. Cenas como estas nos mostra o quando ainda teremos que vivenciar para sermos livres institucionamente do racismo.

    Não se pode falar da dor de ter perdido um filho sem ter um dia perdido um, não se pode falar da dor de ter um cancer sem antes ter tido, não se pode falar da sensanção de ser discriminada racialmente sem sentir na pele isso.

    A população brasileira continua submessa na sua propria hipocrisia racial, a globo cumpre o seu papel de mante-la afogada.

    Carla Cassimiro
    Professora
    CONEN- BA ( Coordenação Nacional de Entidades Negras da Bahia )

  47. Aline Trindade  Says:

    Martin Luther King tem a resposta

    É tão simples. Mais do que discursos e opiniões inflamadas vale atitude.
    EU NÂO ASSISTO MAIS ESTA NOVELA. QUEM SE SENTIU AVILTADA DEVE FAZER O MESMO. Simples, assim.
    O boicote mudou a história dos Estados Unidos….

  48. Jéssica Elaine  Says:

    Queridos leitores, o que se discute nessa cena ñ é o tapa… Mas a questão da forma que ocorreu e por que aconteceu essa agressão… “a negra irresponsável…Que é culpada pelo acidente da patricinha, que sofre por ser rejeitada pelos brancos… e por ter dado uma chance a uma pessoa q sempre lhe invejou…” Por mais q queira o autor está meio perdido d como colocar as reações de “Helena” esta demasiadamente triste e culpada, já está feio!… acredito q ela já ñ tenha mais lágrimas para chorar… eu tmb sou negra sei bem o q é racismo… por mais q seja bonita nada vale se vc tem q concorrer com um biótipo imposto por muito tempo pela sociedade… Mas ñ vamos parar nossa luta…
    Eu ainda hei de ver negras e negros exercendo um papel mais digno diante da sociedade brasileira…

  49. Marcia  Says:

    e inacreditavel como essa novela esta tirando o gosto das pessoas, o racismo tem que acabar, todos somos iguais aos olhos do PAI, o sol brilha para todos, e a oportunidade tbem deveria ser assim, oportunidade de crescer na vida. assisto a globo internacional, e tbem fiquei triste ao ver aquela cena, e alem do mais a personagem da Helena esta vivenciando uma coisa que ela nao comenteu, ela nao fez nada para se sentir culpada por esse acidente. ela simplismente foi atacada e agiu como qualquer ser humano.

  50. Larissa Ferreira  Says:

    Ridicula a supracitada cena, assim que a assisti desejei que o movimento negro bradasse o absurdo da mesma( não tenho o fenotipo negro , mas senti que aquela cena foi complemente fora da realidade , preconceituosa e humilhante – só faltou um pelourinho e um chicote para se transformar em uma novela de época). Uma negra, que não tem culpa pelo desastre que fere a personagem branca “Luciana”, se humilha prostando-se no chão como se fosse a responsável pela tragédia e ainda toma um tapa na cara(simbolo maior de humilhação).

    O autor da novela demonstra já não saber escrever cenas impactantes sem serem piegas e completamente descontextualizadas. Não creio que ele seja preconceituoso, até porque colocou o Thais Araujo como protagonista de uma novela das oito, mas que ele tem perdido a expertise de como escrever um bom texto de novela, ah isso com certeza.

  51. Nilson Dias  Says:

    Concordo com o que Catiane escreveu, ja Renata Dias esta levando a novela para o lado racial, a cena não teve nenhum tipo de agrssão a personagem de Helena, que é uma mulher linda, negra, emergente e bem sucedida.

  52. Larissa  Says:

    Ola!!
    Falando no popular… odeio as novelas de Manoel Carlos. O leblon me irrita profundamente. Ele nunca faz uma novela mostrando a pobreza e sim esbanjando riqueza com iates, helicopteros e etc. E essa cena do tapa realmente foi o fim da picada!! Começando pelo figurino de Helena, com aquela roupa branca encardida, sem brinco e com cabelo amarrando, deu a pensar que era a novela Escrava Isaura! Lamento muito por o q aconteceu!

  53. Letícia  Says:

    Manoel Carlos acabou com a imagem de uma personagem que no início da trama era tão arrojada, independente, realizada em todos os aspectos, cheia vida e à transformou eu um ser insignificante que não tem um pingo de amor próprio. A cena foi patética, e extremamente vergonhosa.

  54. Claudia  Says:

    Boa tarde pessoal!

    Peço que leiam até o final, que, se quiser, manifestem sua opinião e que reflitam.
    Beijos a todos.

    TUDO CAMUFLADO… TUDO CENA DE NOVELA!

    Quem me conhece mais de perto sabe que eu não assisto novela, aliás, não assisto mais televisão exceto jornal, ou então ao fazer minhas refeições matinais e noturnas. Ontem, segunda-feira (16/11/2009) ao tomar café estava passando a novela Viver a Vida, do Manoel Carlos, cuja cena consistia em um “diálogo”, entre Helena (Taís Araújo) e Tereza (Lília Cabral), que para mim parecia mais um monólogo da Tereza, a respeito do acidente da Luciana (Aline Morais).

    Não sei se só eu percebi isso, mas o discurso, o contexto, enfim, toda a cena ontem me pareceu uma “mensagem subliminar” da suposta superioridade do branco em relação ao negro. Digo subliminar para tentar amenizar a situação, porque no fundo, não creio que nenhum discurso, nenhuma informação, nenhuma mensagem seja enviada despropositadamente.

    Antes da estréia da novela, houve muita repercussão devido ao fato de pela primeira vez na novela das oito a protagonista ser negra. Agora me pergunto, quando uma das “Helenas” do Manoel Carlos teve que pedi perdão a alguém de joelhos? Quando alguma das “Helenas” brancas dele teve que ouvir as afrontas de uma negra, ou negro de cabeça e olhos baixos?

    Se ainda não descobriram a resposta eu digo: NUNCA!

    Por quê?

    Porque uma branca, ou branco, no horário nobre, na emissora, por enquanto, líder de audiência, nunca iria submeter-se a uma negra, ou negro. Como se isso ainda fosse pouco, a cena é finalizada com um tapa na face, para reafirmar a humilhação.

    Acompanhem minha linha de pensamento:

    1 – Helena sem maquiagem, chorosa, com semblante de arrasada, fracassada, humilhada. Já Tereza está maquiada, com voz altiva, olha de superioridade e detentora de todo o discurso.

    2 – Helena tenta iniciar uma replica que é subitamente e categoricamente interrompida por Tereza.

    3 – Na maior parte do tempo a posição das câmeras coloca Lilia Cabral em close, aparecendo maior, enquanto Helena é quase sempre vista em um ângulo como que por detrás da Tereza e em uma plano mais aberto o que a coloca sutilmente menor que Tereza.

    4 – Não concordo com aborto e nem é esse meu foco aqui, mas quem somos nós para julgarmos quem quer que seja? Quem somos nós para usarmos os erros alheios para justificarmos as nossas atitudes? Quem somos nós para criticarmos um aborto de uma negra e pobre para não perder o emprego, se tem muita branca e rica que faz o mesmo por capricho?

    5 – Um pouco antes do tapa, a câmera abre mais o plano e fica nítida a mensagem que quer passar a “superioridade” da Tereza (branca) em relação a Helena (negra). Como o olhar de desprezo e altivo é bastante focado culminando no tapa.

    Concluída a cena comecei a me manifestar em casa com a minha mãe e o meu irmão e no meu quarto comecei a questionar-me em relação a algumas questões:

    1 – Como a televisão é capaz de tornar algo tão sério em coisa banal, cena de novela;

    2 – Como somos passivos para questões realmente importantes, como somos omissos em relação ao pré-conceito e o racismo;

    3 – Como ainda damos audiência para tanta porcaria, besteira, como o que é dito nas novelas;

    4 – Como ainda somos capazes de analisarmos a atuação das atrizes, o efeito do tapa e não nos atentarmos para o real sentido do discurso e do contexto propriamente ditos. Vejam os comentários no youtube e para os que não viram a cena aproveitem para ver e tirar suas próprias conclusões. (http://www.youtube.com/watch?v=Uj_IURYjLMk)

    5 – Como inevitavelmente os papéis interpretados pelos negros nas novelas, ainda são desses gêneros: palhaços, escravos, humilhados, passivos, etc.

    Enfim, sei que essa minha indignação não causará um efeito alarmante e nem é essa a minha intenção, mas se eu conseguir levá-los a reflexão sobre o assunto, já me dou por satisfeita. Não sou nenhuma ativista de movimento negro, nem socialista, nem antropóloga, muito menos faço análise do discurso, mas ainda fico indignada com certas coisas nesse país e espero nunca perder a sensibilidade e o senso crítico para perceber esse tipo de pré-conceito e racismo camuflados em uma cena de novela.

    Sei que terão aqueles que dirão que estou vendo coisas, que isso é mania de perseguição, etc. Se estou vendo, ótimo, porque prefiro não ficar cega, ou fingir-me de cega para esse tipo de discurso imposto pela televisão.

    Espero que o senhor Manoel Carlos se retrate com a população negra, se é que alguém terá a mesma opinião e a fará chegar ao conhecimento dele ou de órgãos responsáveis com mais influência do que eu.

    Bom, fico por aqui, até a próxima indignação que eu resolva externar.

    Jaqueline Silva

  55. rosa dos ventos  Says:

    ESSA NOVELA É MUITO CHATA, SOU SEPARADA MAIS NUNCA IRIA METER NA VIDA DOS FILHOS DA PESSOAS QUE ESTOU RELACIONANDO, ISSO É RIDICULO, ACHO QUE CADA UM NO SEU DEVIDO LUGAR……SOGRA E FAMILIA DE MARIDO/NAMORADO QUERO DISTANCIA, AMIZADE SÓ PRA DRINK/CHURRASCO/OU CASO DE DOENÇAS, E MESMO ASSIM EU FICARIA NO MEU SILEINCIO…. EU SOU ASSIM.

  56. Carlos  Says:

    A cena da novela não teve nada de racismo, no outro capitulo Helena deu um tapa em Luciana, acho essas novelas de extremo mal gosto, as pessoas deveriam se importar com isso e não sobre a cor da pele e sim do conteúdo se é que existe!!!! Devemos melhorar o nosso mundo tratando as pessoas igualmente independente se ela é branca, amarela, negra, os pobres brancos também não são discriminado? Basta ser diferente para ser discriminado devemos lutar pelo um mundo mais humano!!!! Paz para Todos!!!

  57. Julio César Lima  Says:

    Sou negro,não participo de nenhum grupo negro,mas esta cena mostra a cara de nosso país, preconceito mascarado, surgirão muitos alienados defendendo tal atitude,porém a melhor eu já tomei deixei a muito tempo de assistir as novelas de Globo por conta deste tamanho preconceito disfarçado. Deixo aqui algumas perguntas porque de tantas novelas que a Globo exibe quase 100% delas os protagonistas são brancos , e os empregados,peões, motoristas são negros?

  58. ALZIRA SANTOS  Says:

    Escrava Helena

    É medonho, triste, deprimente, racista, preconceituoso, etc.. Na novela Viver a vida a protagonista é negra, até ai tudo bem. Mas Manoel Carlos não se conforma com fato de ter uma Helena negra, tão cobrada pela critica. Ele deu o papel, mas em troca maltrata o personagem à ponto de pensarmos que estamos assistindo a Escrava Isaura . Helena é humilhada pela enteada (branca), menosprezada pelo marido (branco) e se ajoelha para apanhar da mãe da enteada (branca) e é acusada o tempo todo de ter feito um aborto. Ora por que \Maneca não passa uma férias aqui no Brasil para ver quanta coisa mudou, que aqui existe a semana da Consciência Negra, a Lei Maria da Penha, que lutamos para que o nosso País trate todos com igualdade, que a mulher tem o direito de dispor de seu corpo . Não devemos mais admitir esse tipo de novela, isso aumenta as desigualdades, diminui a mulher negra e dar margem à violência. Mulheres rebelem-se , A Globo depende da nossa submissão para manter a sua supremacia.
    Alzira Santos

  59. Mila  Says:

    Achei a cena desnecessária… mas em termos de que não deveria se submeter aquela humilhação, não deveria sofrer à toa ( tipico de toda mocinha de novela)…Mas acho exagerado dizer que houve racismo ali, qualquer outra atriz poderia estar fazendo aquele papel.
    Sou negra também e acho que racismo seria a aliviar por lado da personagem de Tais Araújo, por que ela é negra, isso sim seria racismo pois estariam tratando-a como coitadinha.

  60. ANA CELIA  Says:

    Gostaria de deixar registrado a minha revolta em relação à cena exibida na segunda feira em viver a vida,após ler a sinopse eu me recusei em assisti-la, para mim é um ofensa colocar a personagem de Tais Araujo de forma tão submissa e servil. É como se fosse exposto o aviso: “ Ai negrada vocês estão na semana da consciência negra mas o lugar de vocês será sempre debaixo dos pés de um branco”. Observem a forma em que a cena foi realizada e até o posicionamento da câmera, é absurdo. Meu povo vamos atentar aos detalhes e deixar encontrar desculpas para tudo, não há inocência nessa cena nem na forma em que a personagem este sendo enredada.

  61. Meiri  Says:

    Não achei a cena racista. A novela é ruim,monótona e o enredo é alterado constatemente sem nenhuma coerência. o autor aproveitou o momento em que duas grandes atrizes contracenavam e apelou. A questão da culpa motivou a cena e não acor da pele.

  62. aquila  Says:

    toda vs que o negro erra ele tem que se ajoelha e leva 1 tapa na cara ?????

  63. Dora  Says:

    Não sou afro-descendente. Não assisto TV, esta coisa emburrece. Mas ouvi um burburinho no trabalho a respeito da dita cuja enquanto era visualizada por algumas colegas. Fui ver. Desprezível, a cena é desprezível. Lastimável. Desnecessária. Uma pena que a cabeça humana… Uma pena.

  64. Veveca  Says:

    Comportamento racista sim!!!!
    Já poderia se imaginar com o enredo da novela. Como eles mesmos falam a 1ª Helena negra. Tem de ser submissa, humilhada, ter de se ajoelhar para levar tapa no rosto.
    As ostras Helenas não passaram um terço, durante a novela inteira enquanto A Helena Negra ja passou durante dois meses de novela.

  65. Valéria  Says:

    Parece que a cena teve alguma valia, porque afinal algumas pessoas decidiram não assistir mais à novela! Enfim, tanta coisa importante para se fazer, tantos livros para se ler e filmes de dvd interessantes e esse pessoal perde tempo vendo novela, da rede globo ainda por cima! Eu fiquei sabendo da cena por estes comentários porque não consigo assistir novela nenhuma ( nem a anterior). O autor deve estar adorando esse fuá todo, afinal aumenta a audiência não é? Acorda Brasil!

  66. ANGELA SANTOS  Says:

    Fiquei muito indignada com a cena, mostra que o Brasil ainda é muito racista, apesar da atriz principal ser negra, mas que não mudou nada.
    Continuamos sendo humilhado , pela sociedade , que coloca o negro como um ser inferior .
    Essa novela deveria acabar, se todos os negros desse pais, de rebela-se contra essa discriminação.
    Figuei também indignada com a atriz, que prestou esse papel.

  67. Nina  Says:

    Sou afrodescendente, mas não sou militante de coisa alguma.Conheço meus direitos e tentos exigir do mundo que eles sejam respeitados e sem nenhum discurso de revanche ou similar.
    Não acredito que tenha havido racismo na cena tão falada, que por causa do debate acabei de assistir.
    É sim de extremo mau gosto e a novela deve ser pior ainda, como quase tudo veiculado pela Rede Globo e afins.
    Como não concordo com a posição de certos veículos de informação no Brasil, não assisto e continuarei a não ver, essas(não raras) provas de babaquices e mau gosto.
    E só.

  68. Silvia Lopes  Says:

    Vi a cena e achei deprimente. Para quem fala que o negro vê recismo em tudo; prestem somente atenção em alguns detalhes. É muita coincidência que o fato da Helena se ajoelhar e levar um tapa seja veiculado justamente no mês em que comemoramos o orgulho negro. Outro elemento é a figura de uma Helena arrasada e submissa. Ora, tudo bem que ela se sinta culpada por ter mandado a moça viajar naquele carro, mas sentir exagerado remorso pelo acidente acho um pouco demais. As poucas cenas da novela em que assisti mostrava uma Helena bela, altiva e independente. Esta cena, aqui faço minha as palavras da internauta Cláudia, há uma Helena frágil, pequena e derrotada. Sem falar que não há um traço de beleza na personagem; antes, o figurino era impecável, a maquiagem perfeita. Na cena há uma mulher despojada de toda sua vaidade, com roupas simples, enquanto todos na cena continuam mantendo o seu alto nível de elegância e sofisticação; mesmo estando em um hospital e dentro de um contexto de dor. Por que somente a Helena aparece de maneira simplória? Ainda assim, vocês dirão que negro vê preconceito em tudo? Penso que o peso da pena do autor que escreve a novela, parece ser o mesmo peso da pena daqueles que um dia decretaram a escravidão. Não assisto mais a novela.

  69. Igor  Says:

    Gente, nosso país precisa de Cultura!

    Perder tempo assistindo e discutindo tramas de novela, como se nada mais importante houvesse a fazer, só demonstra que ainda estamos engatinhando, a passos curtos, para despertar este Gigante adormecido.

  70. Eva  Says:

    A cena é o retrato do que a tv brasileira e a elite branca do Brasil quer de nós negros e negras…que sejamos sempre humilhados, submissos e que tenhamos uma vida cheia de sofrimento e dor.
    O racismo está disseminado na nossa sociedade da forma mais peversa que poderia haver, sendo utilizado como exemplo para a sociedade…isso é lastimavel!
    Espero que as pessoas acordem e consigam enxergar que a rede globo de televisão é uma emissora extremamente racista, preconceituosa, que so retrata o negro de forma inferior…e mesmo qndo tenta enganar o público – colocando uma Helena negra em sua novela – não iria fugir a regra, a helena negra tem q sofre, ser humilhada, apanhar calada por uma coisa que ela não fez, e o pior de tudo … não regair à agressão verbal e nem à agressão física. Deprimente! Se eu ja não assistia, agora que não assisto mesmo!
    Pasmem vcs…tudo isso foi propositalmente ao ar na semana da consciência negra…eu vejo isso como um recado,ou seja, não adianta vcs (negros) tentarem quabrar as amarras do racismo, vcs sempre seram inferior, submissos e calados!

  71. Sandra Duarte  Says:

    Espero que Manoel Castro se retrate através das cenas que estão por vir, para que o povo atente para o que ocorreu. Também achei o papel da nova Helena muito estereotipada: negra, que veio de baixo, que faz aborto (as brancas , não?), que procura um cara rico para casar, irmã perdida namorada de marginal e mãe solteira, e por aí lá vai. E como se não bastasse esse ar de submissa que me irrita, independente de ser negra a Helena é Mulher. Sabemos que se é mulher, negra e que tem origem pobre a coisa fica difícil. Mas isso há muito vem mudando. O marido galã bonitão e branco a trai com uma garota branca. Essa novela tá toda errrada. Senhor Mané se enxerga, Mulher Negra é mulher retada, trabalhadora, Guerreira. Não costuma aceitar esse preconceito, nem esse lugar de boazinha submissa que vc está dando a Nova Helena, SE TOCA!

  72. Maria de Lurdes Mattos  Says:

    É preciso uma verdadeira reviravolta na novela VIVER A VIDA. A personagem de Helena precisa reagir e demonstar uma carga de emoção mais otimista e ser mais guerreira. Sair da submissão.
    A novela é muito melosa, não provoca adrenalina.
    Mudo sempre de canal, quando as cenas são demoradas e melosas. Gosto de mistérios…E a novela é muito transparente. Prefiro ler as revistas que antecipam tudo.

  73. Jucy  Says:

    Olá
    Sou mulher, sou negra e sou militante!!! a cena é horrível, Manoel Carlos é Racista e Ridículo.
    Agora a guerra está completamente declarada, sabemos muito bem quem são ele/as.
    Não vamos permitir esta aberração nem agora nem nunca. vamos á luta.

  74. MARCUS VINICIUS  Says:

    quero aqui informar que eu sou NEGRO , e o meu repudio é ler esse tipo de comentario de movimento negro , ativista etc…. , precisamos é melhorar a cultura de nosso pais,

  75. cleiton  Says:

    Realmente, em uma cena da novela…Racismo não vi, mas que a Personagem está com estereotipos de gente branca isso é inegável…
    Leiam entrevista de Agnaldo Silva….
    A única coisa que não gostei foi ela se ajoelhando…achei patetico, mas foi uma cena forte chocante independente da cor…Arte não tem cor por consequência artista não tem cor…tem vida….e vida vivdas por personagens…
    Movimento não há do que se indignar….
    Criticas…Tem criticas aqui que não tem nada haver com um fato tão importante como racismo…
    Misturaram tudo…

  76. Sidnéia  Says:

    Li alguns comentários a respeito do tema em questão e confesso que fiquei surpresa com um debate tão caloroso!!! É realmente indiscutível que as novelas , principalmente as Globais, afetam e mexem muito com a opinião popular.Por ter uma linguagem simples e acessível a todos os públicos e a todas as classes sociais, acredito que as novelas deveriam ser facilmente interpretadas. Quando nos debatemos com esses tipo de discussão notamos que não é isso que acontece. A cena em questão mostra simplesmente uma mulher que apesar de ser madura e bem vivida ainda se encontra com conflitos como qualquer outro ser humano. Tereza ( Lilia Cabral) se depara com a reconstrução rápida da vida de seu ex marido, ao lado de uma mulher jovem , linda e bem sucedida ( Helena- Taís Araújo). Em várias cenas a novela mostra que ela ainda ama o ex marido e por isso deixa claro a sua antipatia pela atual mulher dele. Como se não bastasse Tereza sabe que possue uma filha,que mesmo sendo sua preferida,é muito mimada ,inconsequente e infantil. Após o acidente da filha Luciana, ela tenta de todas as formas culpar alguém( outro fator comum a raça humana nesse tipo de situação). Sendo Helena negra, branca, parda, índia, amarela ou de qualquer outra raça ou cor ele realmente seria tratada da mesma forma por uma pessoa com o perfil igual ao de Tereza. A questão realmente era a briga entre duas mulheres de comportamentos diferentes e reações diferentes. Cada uma no entanto revelando sua fraqueza numa situação extrema de emoção.

  77. Maria Tereza  Says:

    É um absurdo! Em pleno século XXI a televisão induz as pessoas ao racismo.

  78. moises carlos  Says:

    a cena é deprimente e despresivel. Mas foi importante pra observar o quanto o negro é de respeitado nessa sociedade hipocrita. Ainda que almeje um status social, ainda há grande desafio e, o maior deles, é resgatar a sua dignidade

  79. Professor luis  Says:

    A cena é realmente chocante, contudo não podemos exigir uma versão que não fosse esta,pois é a primeira vez que rede globo trabalha com a temática na condição de protagonista e isto, lógico requer determinado reforço de esteriótipos, o que devemos fazer é assistir e desmitificar junto aos nossos filhos , alunos, amigos e etc.. aquilo que acreditamos e o que não contribui para nossa autonomia enquanto povo de origem africana.

  80. Léia  Says:

    Vi gravidade em acusar Helena (Taís Araújo) de precisar fazer um aborto para subir na vida. A modelo negra e pobre precisava engravidar precocemente?

  81. Angélica  Says:

    Que bom que cenas como essas nos chocam e nos deixam indignados! O autor Manuel Carlos expressa bem o que ele e muitos outros, que também não se dizem racistas, acham a respeito da posição que, segundo eles, o negro deve ocupar na sociedade: uma posição de submissão, de resignação, de inferioridade… O olhar de Tereza e as posições que ela e Helena ocupam na cena demonstram nitidamente isso! Mas também me chocam algumas opiniões que li mais acima! Opiniões que trazem sempre os mesmos e velhos argumentos frágeis que tentam negar a História de escravidão desse país, História que se repete em cenas como essa da “ficção” e nas inumeráveis cenas cotidianas das nossas vidas. Muitos, sobretudo as elites (brancas e racistas, latifundiárias e concentradoras de renda etc.) desse país, fingem não ver isso, é óbvio! Afinal, admitir isso é também admitir sua responsabilidade em séculos de sua dominação: política, econômica, cultural etc.. é também admitir que suas históricas posições devam ser questionadas e exterminadas! Por isso, mesmo que estejamos cheios de “boas intenções” ao fazermos determinado tipo de comentário, devemos tomar muito cuidado com o que afirmamos para que não incorramos no erro de alimentar, ao invés de exterminar, o preconceito, a discriminação, a humilhação etc. Espero que também eu tenha tomado esse cuidado. Por enquanto, é isso! Vamos a luta!

  82. alexandrfe  Says:

    A cena foi surreal.

    E a série de fatos estranhos não começam na cena do tapa. E sim da subserviência de Helena para com a personagem de Liliam Cabral, onde a mesma cobra que sua filha, mimada e chata, adulta, seja tratada como criança e que Helena sirva de babá.

    A cena do tapa foi o cúmulo. Helena assumir a culpa de algo tão absurdo, ainda por cima se ajoelhar numa postura que lembra até os filmes de masoquismo sexual.

    E sim, a cena nos levou de volta ao século XVIII, pois ali estavam perfeitamente caracterizados, senhora e serva.

    Agora a pergunta que não quer calar : Logo para essa Helena com um comportamento tão depreciado, sem amor próprio e brio… Agora sei porque escolheram uma atriz negra.

  83. danilo  Says:

    Realmente a cena foi chocante e constrangedor ,quem olha num ohar critico ver que ha ali uma inferioridade da mulher ou pessoa negra em relação a branca.Porque a cena não foi ao contrario?Mas isso é uma velha tradição da tv globo em sempre mostrar a classe media como superior voçê pode ver isso quando os principais personagens sempre são pessoas ricas.Eu acho que a tv globo cometeu um grave erro em exibe a pobre personagen negra de joelho diante de um branco.

  84. silvana  Says:

    Manoel Carlos mostrou todo o seu racismo, posição contrária ao aborto, crucificando quem o pratica, sem ao menos estabelecer o dialogo, não é coincidência que tal cena tenha ido ao ar justamente na semana da consciencia negra, isto é premeditado, para dizer a grande população negra desse país o que ele realmente pensa, que somos incapazes, não é a primeira vez que esse autor trata a população negra dessa forma, se fossemos um pais sério, com cultura, este tipo de coisa chamada novela já seria abolido de nossas mentes.

  85. Daniel de Oliveira  Says:

    não pudemos nos calar diante de tal fato, que é um afronto ao Dia Nacional da Consciência negra, o que a rede globo faz e sempre fez ao longo dos anos com com atores negros é um absurdo.

  86. Aline  Says:

    Eu assisto a novela quase q diariamente mesmo nao morando no Brasil( youtube é tudo!)
    minha visao probre a novela:
    1-As Helenas sempre foram chatas;
    2- A Helena é negra, mas faz tudo como se fosse branca;
    3-Tereza sempre teve ciume do marido e o q aconteceu foi um belo motivo pra ela jogar toda sua raiva e inveja;
    4-Nao entendo pq o marido tem q ser infiel e sacana, já q ele dizia amar muito a esposa;
    5-Infelizmente Taís Araujo nao é a Helena negra ideal, apesar de eu particularmente achar ela boa atriz.
    6- Nao sei, acho q essa novela um pouco chata e to comecando a odiar a mesma.

    E pessoal vc acha q ia ser diferente? claro q o negro ainda é visto com ladrao,invejoso,mentiroso etc, lamento muito, mas a novela tá querendo mostrar isso, q uma negra tem q se ajoelhar e pedir perdao, pq uma coisa q ela nao teve culpa .LAMENTAVEL.

  87. sonia  Says:

    Gostaria de entender que dramaturgia é essa em que uma protagonista da novela das 8 h tem de se ajoelhar e levar um tapa na cara… foi a primeira vez !! Isso é intolerável!! Gostaria de demonstrar meu repúdio e indignação, peço que sejam tomadas as providências legais cabíveis à espécie de situação constrangedora ocorrida em rede nacional de TV.

  88. Norberto Andrade  Says:

    O seu comentário está aguardando moderação.

    Foi exatamente na Semana da Consciência Negra que pensei quando vi essa cena. Nada do que esses profissionais fazem é impensado. É proposital sim. Fico admirado com a Taís Araújo em ser complacente com esse tipo de ação contra o nosso povo. Será que ela não tem outra opção de trabalho, e com dignidade? Não queremos ser violentado de forma alguma. Triste é pensar que o poder público parece não existir pra banir a descriminação racial e social. Um abraço Negro. Paz e Bem.

  89. Bruno  Says:

    Que novelinha chata hem!!
    Não tem nada de novo, só ricos e mentiras e um soono!
    A novela das 6 e das 7 estão mil vezes mais rapidas.

  90. claudia  Says:

    Gente como ainda doí!!!!!!!
    Foi repuguinante…..Pessoalmente acho o tom da minha pele linda,mas me vendo como mulher, esposa, profissional, mãe nunca me permiti sofrer ao pensar em racismo!!!!
    Mas sei extamente onde estava , o que fazia naquele momento e parece tudo parou…….
    Aquele tapa mostrou que tdo foi ontem e temos que acabar com essa violência.
    Eles não podem nos calar…….
    O mês é nosso A consciência Negra existe!!!!!!!

  91. ANTONIO  Says:

    Não acompanhava a novela regularmente, mas decidi parar de assistir depois dessa cena. Não pensei nem em racismo; mas achei a cena ridícula e inverossímil.

  92. Rafaela  Says:

    eu achei aa pura realidade pq o racismo é uma coisa qe esta acontecendo muito do brasil e principalmente nos lugares estrangeiros

  93. Capitão Marinho  Says:

    O debate é salutar e todos ganham. Parabéns à Cleidiana pelo canal de debate, parabéns a todos que participaram. Quanto à minha opinião: neste momento, é o que menos importa!

  94. LAIS SANTOS  Says:

    EU FIQUEI INDIGNADA COM ESSA CENA.
    ESSA CENA SÓ NÃO A NOVELA TODA .PIOR NOVELA QUE MANOEL CARLOS JÁ ESCREVEU.
    DEPOIS DESSA CENA NÃO ASSISTIR MAIS ESSA NOVELA RACISTA.
    NUNCA IRIA IMAGINAR UMA CENA DESSAS.
    EU SOU NEGRA E TENHO MUITO ORGULHO DISSO.NÃO ME VEJO NESSA SITUAÇÃO.
    NÃO POSSO NEM PENSAR NISSO.

    SE EU ESTIVESSE NO LUGAR DE MANOEL CARLOS PENSARIA EM TERMINAR A NOVELA MAIS CEDO.NOVELA SEM CONTEUDO ,SEM GRAÇA.

  95. Jorge Dias  Says:

    Não sou negro. Vi a cena na novela, li os comentários com atenção e respeito. Os dois pontos de vista, para mim, fazem sentido. Não vou negar que eu também achei a Helena apagadíssima (sem maquiagem, com o cabelo preso e uma roupa de gosto duvidoso.). Na hora exata do tapa, a associação foi imediata: já vi essa cena antes, é a “sinhá” dando lição de moral na “escrava”. Além disso (e não em oposição), muito respeitosamente, penso que o fato de as personagens serem rivais pelo amor de um galã e pelo fato de ter havido uma irresponsabilidade de Helena intimamente conectada ao acidente que deixou a filha da rival tetraplégica pode gerar uma leitura desconectada de uma lente racista. Mulheres rivais, idades distintas… Tapas na cara são clichês em tragédias…

    Penso que foi um grande vacilo esta cena ter ido à TV num mês comemorativo. Já que se quis mudar, é muito necessário extrema atenção: não dá pra fazer igual o que se propôs a ser diferente.
    Além disso, penso também que usar uma lente menos emotiva na justa exposição de uma cena polêmica como essa deve ser aproveitada para se escutar gentil e respentosamente a ebulição nacional em torno da cena.

  96. André  Says:

    Cena bizarra.
    Senti muita vergonha…

  97. Márcia Dias  Says:

    Mais é isso que esses racistas querem fazer com a imagem das negras e dos negros do nosso Brasil, é nos tornamos incapazes e subalternos perante eles.Espero uma resposta de moço da sabedoria “esplêndida” que se suja o tal, responder o porque, disso logo ter acontecido na semana da consciência negra.Espero que nos do Movimento Negro não deixamos passar barato essa cena patética.
    Obrigada!

  98. Telma Souza  Says:

    Eu fiquei indignada!!! Sou uma mulher negra, atriz e me vi humilhada naquela horrivel cena. Devido ao meu trabalho quase não assisto as novelas, mas naquele momento eu estava felizmente em frente da tv. Espero que entendam por que felizmente, pois, só assim posso tbm incluir o meu desapontamento frente aquela cena ridícula e despresivel. Consigui me ver no tempo da maldita escravidão, que o branco dizia tudo que queria, tudo que bem entendesse e depois cravava seus dentes e chicotes em nossas peles dizendo sempre estar certo. Temos mesmo que reagir a tudo isso, chega de nós negros irmos p/ televisão brasileira simplesmente p/ representar escravos ou representar a escravidão maquiada e brozeada ao sol de Ipanema e Copacabana.

  99. Maria Aparecida Mota  Says:

    A Cena do Tapa foi vergonhoso. A humilhação a indiferença do marido apaixonado no hospital a simplicidade a diferença nos trages da Helena a mantinha como uma serviçal mesmo. Todas as Helenas de manoel carlos eram mulheres fortes e não uma mulher fraca cheia de culpas e sem a menor vaidade. Eu Acho que até poderia ter o tapa, desde que a helena estivesse na posição do que realmenteé , famosa, linda poderosa, esposa de milhonário. mas Não isso ficou para as outras. Olha Faz tempo que novela da Globo é apelação e prova de mal gosto sem nada cultural. A melhorzinha é caras e Bocas, mas os negros são sempre humilhados, e criados. Para galgar um pouquinho precisa ouvir sempre que é negro. Isso já deveria ser assunto superado pelo menos para formadores de opinão.O malvado sempre se dá bem como é o caso da judith. O dia que ela se der mal pode saber é o último cápítulo. Ve se Melhora. Assim não dá.

  100. Maria  Says:

    Diz que estão retartando fatos de nosso dia-dia, mas nunca mostra uma solução.Teria que mostrar sim que seu filho não tem limites e por isso chegou onde chegou, e agora precisa passar por momentos que nunca imaginou que iria passar. A família se concientizar da educação a qual tem dado a seus filhos. A novela anterior, o filho desacatava os professores e o erro era do colégio, em todas as atitudes do filho os pais o defendiam, no final ele provocou um acidente onde a vítima perdeu o filho e simplimente ele foi prestar serviço a sociedade, e os pais qual foi a punição? A de hoje a filha humilha as pessoas e sempre ela tem razão este é o exemplo que passam para os adolecentes que não tem regras em casa e nem respeito ao próximo. Infelizmente os jovem seguem o que passa na mídia, por isso a dificuldade dos educadores, pois oas pais deixam tudo por conta da escola. Se a falta de respeito esta dentro de casa como mostrar para essas pessoas o que é correto?

  101. Dandara Eloá  Says:

    Boa noite para todas e todos.
    Bom ñ asstistir a novela ,pois assisto pouco a tv,mas pudi rever a cena e fiquei indignada com o que vi.É inaceitável que ñ tenhamos uma visão crítica do quiz retratar a cena desta quarta feira.
    Ao ver Helena (Taís Araújo,mulher negra)ajoelhada e arrasada de cabeça baixa e Tereza (Lilia Cabral,mulher branca) de pé como num ato de submissão do branco p/ o negro.É terrível o modo que a elite transmite o racismo de modo tão explícito e prposital.pois exibir num horário de grande audiência e que a população negra se encontra assisti a este tipo de novela,na qual se torna um fato dispresível pra aquelas pessoas q ñ tem o olhar crítico.Isso ñ pode ficar por isso mesmo,Manoel Carlos precisa de uma resposta!!!
    É fico por aquii,porém esperando que isto ñ se cale.
    Abraços a todas e a todos.

  102. jucelia  Says:

    A todos que deixam de fazer coisas importantes pra assistirem novelas onde o luxo e a extravagância são colocados acima de tudo, espero que sintam-se satisfeitos, da ibope a televisão brasileira que não mostra a cara do Brasil, seus cidadãos não são devidamente retratados( negros e indios) , como se todos fossem europeus. Abram os olhos, não enriquecemos com produtos dirigidos a classe A,pelo contrário nos conscientezamos mais ainda do quanto somos injustiçados, onde estão as reformas na educação? saúde? e o lazer para bairros pobres e populosos. Tenho a certeza que foi muito mal intencionado esse capitulo, a globo jamais permitiria que um negro mantivesse status mais que brancos. Mas somos lutadores, caso contrário teriamos sumido literalmente do mapa, mas persistimos, enfrentamos preconceitos e conseguimos manter a dignidade.

  103. Moacir Afanje Eui  Says:

    É interessante que apesar de ter sido uma das primeiras emissoras de televisão a ter como protagonista de novelas um casal negro…ainda não consiga pensar nas proporçôes que determinadas cenas pode causar …realmente a cena foi forte ver Helena ali de joelhos,fragilizada …Eu gostaria que a emissora cuida-se melhor da imagem desses grandes e talentosos atores…eu gostaria que ela terminasse feliz e bem sucedida com um belo e rico empresário negro que de fato a ame.

  104. Denise Maria  Says:

    Para Claudia

    Sinceramente, tenho que …É muita inocência acreditar que uma atriz negra é vista igualmente como uma atriz branca, num país em que é necessário estabelecer cotas para que negros tenham acesso à universidade, ou que seja necessária a idealização de um Estatuto da Igualdade Racial que para atrizes e atores negros tenham o direito de aparecer na televisão.
    Será que as cotas foram criadas porque o negro não tem capacidade, ou porque foi colocado à margem da sociedade ao longo dos anos, e essa atitude não passa de uma reparação histórica?
    Quantos anos mais serão necessários para investimento na educação, para que os negros tenham acesso à universidade? Vamos esperar mais 100 anos?
    Digo, que tanto as cotas, quanto uma atriz negra em posição social de destaque incomodam a uma parcela da sociedade, que é branca e deseja a manutenção de esteriótipos que só servem para a manutenção de discursos como: negro no papel de escravo, negro na cozinha, negra como esteriótipo erótico, lascivo, negro incapaz, coitadinho, etc.
    Sinceramente, o que me deixa mais incrédula nisso tudo, é ver a maior parte da população manter um posicionamento natural diante dessa vergonha que foi a cena de Taís Araújo”
    Inacreditável!!
    Enfim, Claudia, finalizo como você.
    Bom, fico por aqui, até a próxima indignação que eu resolva externar.

    Denise Maria.

  105. Samuel  Says:

    Pessoalmente acho muito mais ofensiva a cena de outra novela descartável em que uma menina, negra, lê com entusiasmo contido o livro “Não Há Racismo no Brasil”.
    Que há uma forte carga racista na cena em questão é óbvio, mas a negação dessa realidade racista no Brasil – negação essa tão cara a classe média brasileira, a ponto de muitos apontarem como racistas aqueles que bravamente colocam essas situações racistas à tona – é muito mais nociva.

  106. Idalina  Says:

    Olá gente, eu concordo com muitas posturas das pessoas que se manifestaram, inspirado nisso publicizei essa página para amigos via mail, acho excelente questões como essa serem discutidas e o mais importante é serem vistas, escancaradas, como vários casos de racismo no Brasil, embora a vergonha de ainda existirem, fico feliz por virem a tona. Acredito que devem sim serem mostrados e para aqueles que acham que negro vê racismo em tudo, sinceramente ingenuidade é o alíbe dos medíocres. Falta de consciência crítica não dá mais pra suportar!
    Só quero parabenizar a mediadora desse canal de discussões.

    Abs a todos e todas.

  107. Gevaldo  Says:

    Não assistir a esta cena, mas, diante dos comentários, tenho convicção de que o escritor Manoel Carlos perdeu uma grande oportunidade de reparar as agressões que ele e a emissora em que trabalha cometem contra negros. Contudo, é importante que esta questão seja discutida constantemente, a fim de que possamos acabar com o mito de que no Brasil não há racismo. Pois, neste país, a elite não adimiti a ascenção social dos negros. E, através de discursos camuflados, tentam barrar, a qualquer custo, os mecanismos que possibilitariam a diminuição da desigualdade social. Por isso, é preciso que estejamos conscientes e atentos, para que não sejamos enganados por esta emissora e seus protagonistas, que lutam pela manutenção de um sistema excludente e discriminatório.

Deixe seu comentário