Balaio de Ideias: Lazzo I, o Magnífico

postado por Cleidiana Ramos @ 2:58 PM
24 de fevereiro de 2010

Professor Jaime Sodré sugere Lazzo como Rei Momo 2011. Foto: Divulgação

Jaime Sodré

Como sempre acontece no pós-Carnaval, a promessa é sempre começar a visulumbrar atitudes e mudanças para o próximo, enquanto procuro entender as vazantes de dois rios que parecem não se cruzar: um, caudaloso, pensando o Carnaval como uma atividade de negócios; o outro pensando o espaço da folia como oportunidade de expor aos olhos de muitos as suas qulidades culturais, apostando no direito à diversão e estímulo à estima. Negócios não são maléficos, o comércio também fez parte dos contatos milenares entre os povos. O que fico a meditar é sobre a razão de estes dois rios não se cruzarem.

Patrocínios para uns, negação para outros. Consumidores em maioria, somos esquecidos quando se trata de blocos afros ou personalidades musicais negras em busca da chancela comercial. Desde o ritual da manhã até o anoitecer estamos lidando com produtos os mais diversos, porém isso não sensibiliza as empresas, nem ao menos uma simples pasta dentrifrícia lembra-se que escovamos os dentes, ou não? Sabões, detergentes, desodorantes comprometidos com o asseio e limpeza não patrocinam ao menos a Lavagem de Itapuã, manifestação de asseio físico e espiritual.

No Carnaval o governo atende com um oportuno aparato financeiro aos blocos afros, com o programa Ouro Negro. Em boa hora, mas não basta, necessita-se de recurso privado, até porque ao governo cabe empregar os nossos recursos não só na folia, temos a saúde, escola, seguraça etc, para cuidar.

Mas, enquanto estudava a economia do Carnaval no âmbito da indústria cultural, na boa monografia de Bruna Silva e nos dados sobre os custos dos abadás e similares, elaborado pela Prof. Lúcia Maria, buscando compreensão e luz, não vi Lazzo Matumbi passar com o seu bloco Coração Rastafari, fundado, em 1998, com o objetivo de criar um espaço para o reggae no Carnaval. Bloco que saía sem corda e seguindo os conceitos de paz, igualdade e respeito. Lazzo, dono de uma voz privilegiada, um artista completo, um dos mais e merecidos aclamados cantores da comunidade baiana, não desfilou, problemas com patrocínio, ou de quem não reconhece neste astro uma oportunidade de atrelar os seus produtos a uma estrela ímpar.

Recordo de um artista negro sobre um trio, o dançarino Sebastian, recomendando um grande magazine. Aguardo ainda um bom anúncio da nossa (diva) Margareth Menezes, em tempos de Beyoncé. Questionava-me uma mulher afrodescendente não visualizar semelhante, nem em anúncios de absorventes. Será que mulher negra não menstrua? Indagava, satirizando, claro.

Em 1959 o radialista Edmundo Viana e o jornalista Silva Filho colocaram o inigualável Ferreirinha, motorista da Sutursa, como rei Momo, ficando na função até 1988. Desfilava em carro alegórico do Campo Grande até a Praça Municipal, recebia a chave da cidade e hospedava-se no Hotel da Bahia.

Em 1990 aconteceu o primeiro concurso para a eleição do Momo. Salvador assiste na contemporaneidade a um novo processo de escolha do rei. Tivemos o Rei clarindo Silva, polêmico, inusitado, que, seguindo a tradição histórica, recebe o epíteto de Clarindo I, ” O Quebrador de Paradigmas”. Situação interessante, inagurou-se a presença do “magro” nos dias “gordos” de Carnaval. Segue-se Gerônimo I “O Filho de Oxum”. Até há poucos dias estávamos sob as ordens de Pepeu Gomes I, “O Discreto”, magistral guitarrista que não se fez acompanhar da rainha e princesas do Carnaval, ao que me parece.

Ainda seguindo as prerrogativas históricas, “antes que algum aventureiro ponha a mão na coroa carnavalesca”, permitam-se pleitear para 2011, a posse de Lazzo Matumbi I, “o Magnífico”. Requisitos históricos ligados ao Carnaval não lhe faltam, somado ao fato de ser um dos primeiros cantores do Ilê Aiyê e, com certeza, a cor desta cidade é também dele. Porte, elegância e nobreza estão ali. Espero estar cumprindo a vontade de muitos: nós, súditos de vossa majestade, rogamos que aceite concorrer. Em sendo eleito, com aquele vozeirão, cante de cima do trio, para todos: “Vem correndo me abraça e me beija”, em tom de reparação.

Professor universitário, mestre em História da Arte, doutornado em História Social e religioso do candomblé

Tags: , , , , ,

10 Respostas to “Balaio de Ideias: Lazzo I, o Magnífico”

  1. Claudio Correia  Says:

    Nós negros reggaeiros amantes da música jamaicana merecemos muito mais do apoio do governo, merecemos sim, sair com trios e blocos, mostrar a verdadeira cara do povo que gosta de reggae.

    São blocos, trios e artistas que só saem em horários péssimos, patrocínios e parcerias não são disponibilizados, não sei pq.

    Esperamos que em 2011 realmente o nosso povo, a nossa cara, seja realmente bem representada.

    São muitos Lazzos espalhados na cidade.

    Muitos artistas de reggae com fome de mostrar o seu trabalho.

  2. Viviane  Says:

    Também senti falta de Lazzo neste carnaval… Como também nas noites baianas, silenciada sem essa voz realmente magnifíca! queremos mais Lazzo sempre!!

  3. Renata Dias  Says:

    Lazzo, pra mim, é rei sempre. Não consigo entender minimamente os motivos que o deixaram de fora do carnaval e que o deixam cotidianamente fora de nossas vidas. Como cidadã, me sinto completamente revoltada.

  4. José Carlos  Says:

    Lazzo é sem dúvida, a cara da Bahia. O carnaval desse ano não foi o mesmo sem o Coração Rastafári. Como pode termos desfilando André Lélis, Tomate, Viviani Tripodi, O Troco, e tantas outras “coisas” e ficar de fora Lazzo Matumbi???? Mas ainda estou curioso em saber o real motivo da não saída do Coração. A imprensa não cobriu este fato (certamente, se o Nana Banana não saísse, a cobertura seria imediata), e aí fica minha dúvida: por que Lazzo não saiu? Faltou patrocínio? Faltou organização de sua produção (que todo carnaval mostrava despreparo)? O que faltou? Se o A Tarde puder fazer uma matéria sobre isso e esclarecer o que de fato aconteceu, eu iria agradecer muito. Fico aguardando…

  5. Hugo Saba  Says:

    Nós humanos sem pós-conceitos buscamos a felicidades, que está presenda na vida sem diferenças. Lazzo é merecimento de todos (sem cor de pele), tem o coração aberto, o que lhe o faz um Rei nato, porém a dúvida é ser Rei de que? Vamos ter um carnaval igualitário(i.e democrativo, indiferente)? Meu amigo Lazzo, é uma pessoal íntegra que só se envolve em ações verdadeiras, fico feliz pela lembrança do colega Jaime, esperamos uma grande mudança. Parabens a todos pela indicação!

  6. jorge fernandes  Says:

    Parabéns pela lembrança de Lazzo para Rei Momo, super válida, belíssima a idéia.
    Lembro de 20 anos atras, eu tive o previlégio (eu e mais umas 50 000 pessoas), de ter assistido Lazzo cantar no Rock In Rio, no Maracanã junto com Jimi Clif. E olhe mestre Sodré, quem também estava no palco e era um dos percussionistas, nada mais nada menos que a elegância de Gabi Guedes.
    Parabens e saúde sempre

  7. ODÉ RUFINO  Says:

    LAZZO AGORA E SEMPRE PARA QUEM AMA A MÚSICA ….EU FALO A BOA MÚSICA NEGRA QUE ECOA NOS GUETOS E BECOS DESSA CIDADE NEGRA..QUE JAMAIS REPARA SEUS ERROS HISTORICOS…COMO PODEMSO ELEGER UM PREFEITO TÃO AMBICIOSO ..EM SEUS DESEJOS DE PODERES E TÃO MEDIOCRE ..QUANTO A QUESTÃO CULTURAL E DE RELEVANCIA PARA TODA POPULAÇÃO..SEMPRE AUSENTE QUANDO O ASSUNTO ENVOLVE AS QUESTOES DA MATIZES AFRICANA…SEM FALAR NOS GRANDES EMPRESARIOS QUE ENRIQUECEM AS CUSTAS DESSA POPULACÃO QUE PRATICAMENTE CONSOME TODOS SEUS ESTOUQUE DE PRODUTOS E SERVICOS …MAS NA HORA DE APOIAR ..ELES APOIA QUE SE VAGLORIAM DE CONSUMIR PRODUTOS IMPORTADOS…. LAZZO COMO TODO REI SERÁ O REPRESENTANTE LEGITIMO DE UM A NAÇAO AFRICANA TOTALMENTE LIVRE DAS AMARRAS PRECONCEITUSOA QUE ..ATINGIU O SR PEPEU GOMES E OUTROS ‘REIS DA MIDIA” ABRAÇO PROFESSOR JAIME …AGORA É FORTALECER AIDEIA E LANÇAR A CAMPANHA …JÁ QUE NA BAHIA TUDO É NA BASE DA ELEIÇAO…MESMO QUE A ELITE JÁ TENHA SEUS ELEITOS …VAMOS FAZER O NOSSO ELEITO …LAZZO I O MAGNIFICO ..O REI MOMO DO CARNVAL DE 2011.

  8. alejandro till  Says:

    que falta de inteligencia de parte de los organizadores del carnaval ,dejar afuera unas de las glorias mayoresde la musica bahiana,con un bloco que atrae no solamente a los brasileros sino que a la gran mayoria de extranjeros que participan todos los años del evento,es algo inacreditable ,estoy en total desacuerdo con esa postura de quien compete ,apoyo total a la cadindatura como rey momo 2011 para lazzo un verdadero grande da musica bahiana ,mucho mas que algunos top que participan y dejan una estela de mal gusto cuando pasan por la avenida , es de taparse los oidos .no mas palabras .

  9. M. KARAÍ  Says:

    Oportuníssima idéia, em um estado e país em que a cultura negra enriquece e visibiliza os brancos, seja nos destaques das escolas de samba, seja nos mega shows e astrônomicos patrocínios das musas com suas percussões, mas que se quer protestam contra os ataques das religiões neopetencostais aos terreiros, onde a maioria vai bater a cabeça, nem a falta de apoio aos blocos afros …
    Continua-se a trabalhar para enriquecer apenas uma os donos e donas de cabelos lisos – nada contra desde que nossos artistas também estivessem no mesmo patamar.
    Assumo, entretanto, que dessa vez a responsabilidade é nossa – somos a MAIORIA, já temos uma parcela que consome, estuda, vai à luta, só precisamos aprender a boicotar e mandar e-mail registrando nossa insatisfação e favorecer os que utilizam modelos negros, fazem linha de produtos específicos etc. NÓS TEMOS DINHEIRO E PRECISAMOS É APRENDER A USAR ESSE PODER…

  10. ODILON GÓES  Says:

    QUERIDO PROFº DOUTORANDO E SÁBIO CIDADAO J.SODRÉ,
    LENDO SEU DESCONTRAÍDO TEXTO,PORÉM COM UMA REDAÇAO COMPREENSÍVEL PARA TODOS OS GOSTOS PUDE INTERIORIZARME DA MISSAO QUE TENHO CONVICTA EM SEGUIR NA MINHA INVESTIGAÇAO DOUTORAL DA: “PROTEÇAO JURÍDICA DAS EXPRESSOES TRADICIONAIS CULTURAIS COM ESPECIAL ATENÇAO A ARTE DA CAPOEIRA”. PORTANTO O PROBLEMA NESTE PARTICULAR ESTÁ DELIMITADO VAMOS ADIANTE. AFETUOSO ABRAÇO E RECOMENDAÇAO A FAMÍLIA.
    DESDE SALAMANCA
    ODILON GÓES

Deixe seu comentário