Afro Imagem: Homenagem a Mãe Aninha

postado por Cleidiana Ramos @ 2:25 PM
31 de julho de 2010

Dentre as atividades de comemoração dos 100 anos do Ilê Axé Opô Afonjá, que vão até amanhã, aconteceu a inauguração do busto de Mãe Aninha, fundadora do terreiro. No clique do repórter fotográfico Fernando Vivas, da Agência A TARDE, Mãe Stella contempla a escultura em homenagem à primeira ialorixá do Afonjá.

Tags: , , , ,

11 Respostas to “Afro Imagem: Homenagem a Mãe Aninha”

  1. Bernadette  Says:

    Parabens a querida Mãe Stela por esta data tão linda. E tambem a grande fundadora deste TerreiroMãe Aninha. Que de onde ela estiver derrame sobre o Ile Opo Afonja suas benções de paz e de luz. Que continue Mãe Stela este trabalho maravilhoso e que cada vez mais se fortique neste intenso e dedicado caminho da espiritualidade.,ãe Stela e um dos maiores nomes do Candomble do Brasil pessoa de forte personalidade seria, inteligente e tambem meiga e doce . Que o Ile Opo Afonja seja este lema de grandiosidade na religião e no coração deste povo da Bahia. .

  2. Antonio Carlos Nunes  Says:

    Mãe Stella também merece uma escultura em sua homenagem. É através desta grande sacerdotisa que tudo renasce, que a cultura permanece. Saúdo Mãe Aninha e Mãe Stella. Que o Ilê Axé Opô Afonjá cresça cada vez mais.

  3. Veninadeogum  Says:

    Essas atitudes é de extrema importancia para nós todos, a mãe Aninha sempre é um icone da relião de matriz africana e dos povos de terreiro, agora mãe Estela manten a sua dignidade em não mais nos enconder atras de outras expresões religiosa.
    axe Yalorixa VeninaDogum

  4. Professor Francisco Junior  Says:

    Parabéns a todos do Ilê Axé Opô Afonjá, em especial a Mâe Stella de Oxóssi, pelo centenário dessa casa tão importante para os baianos.

    Axé para todos.

  5. Missione Marques de Moura  Says:

    Axé Afonjá, 100 anos
    Não sou iniciada no Candomblé, mas peço Agó aos ancestres pra falar de tão maravilhoso acontecimento.
    Cerimonia belissíma, nos faz aguar os olhos. Sábado 31 de julho, cheguei cedo no Afonjá, tive oportunidade de ver toda a movimentação de perto, roupas de um branco imaculado, contas rituais nos pescoços legitimando os cargos e posições de cada um, o objetivo maior daquela festa era saudar os antepassados, a senoridade e a reverencia a todo instante eram reafirmadas. Oxum, serena como é sua natureza, nos ofereceu uma manhã tão linda que certamente lá do Orum, Mão Aninha e todas as mães ancestrais do Ilê Axé Opô estavam felizes. Representantes das grandes Casas de Candomblé de Salvador, políticos, historiadores, antopologos, jornalista, admiradores subiram a ladeira do Cabula em reverencia a Mãe Aninha.
    Mãe Stella soberana, reina no Ilê Axé, plena. Com a mesma força de Mãe Aninha, Yiá Stella reforça e reafirma a todo momento suas posições, diante de reperesentantes de todos os seguimentos da Sociedade.
    Desde os primórdios o Ilê Axé mostrou-se como uma casa de forte trânsito no meio político e intelectual, após 100 anos continua mais forte que nunca, como no tempo de Yiá Aninha. Vida longa ao Axé do Afonjá e a bencão a Yiá Stella de Oxossi.
    Okê Arô!!!!!!!

  6. Roberto Nunes  Says:

    Mãe Stella,
    Que Órumilá, lhe dê forças para prosseguir com este trabalho maravilhoso, fortificando sempre as religiões de matrizes aficanas.
    Axé – Pegigã Beto de Ogum
    (Ogã de Bessem)

  7. Leonardo Queiroz  Says:

    Merecida homenagem!

  8. Helder Florentino  Says:

    concordo com tudo que dizem por aqui sobre as comemorações de 100 anos do Opô Afonjá… mas fica uma pergunta: porque apenas as casas cenetenárias são apoiadas, reverenciadas e vistas pelos órgãos municipais, estaduais e federais enquanto muitas casas que têm sua batalha diária para manter nossa tradição afro religiosa intacta e fluente dentre boa parte da população – na sua maioria, carente – não recebem sequer apoio de nenhum tipo de governante? Existem casas oriundas da raiz da Goméia que têm muito orgulho e muita tradição, e isso nunca foi observado. Não se fala em nenhum momento na valorização da história da Goméia nem de Joãozinho da Goméia, também, grande peronagem da construção de nossa identidade afro religiosa cultural. Outro grande personagem famosíssimo pelo Brasil a fora é o sr. Miguel Dewandá, babalorixá que levou muito axé em vários terreiros. Temos de lembar todo Iceberg esconde abaixo dele uma grande quantidade de gelo para o sustentar… Pensem nisso!

  9. Helder Florentino  Says:

    Gostaria também de lembrar as casas de angola que mal são lembradas, muito menos as casa da nação Jeje que estão sumindo, e tbém não devem estar na lista das casas favorecidas dos governates. Se os governos dizem que querem socializar e partilhar o que se tem, vamos fazer a coisa de forma democrática… que TODAS as casas de tradição afro verdadeiras e reconhecidas possam receber este apoio.

    Ogan Helder de Oxaguian

  10. Olivia  Says:

    Foi bonita a festa queridas Mães Aninha e Stella. Muita força para o Axé Afonjá seguir em frente, sempre em frente!!!

  11. dirce mendes  Says:

    BOM, ESTOU EU AQUI , C UMA INVEJA BOA DE TDS OS Q ESTIVERAM NESTE EVENTO.UM XERO E LUZ
    DIRCE

Deixe seu comentário