Arquivo da Categoria 'Música e Dança'


Parabéns ao Ilê

postado por Cleidiana Ramos @ 11:08 AM
30 de outubro de 2010

Ilê Aiyê comemora 37 anos. Foto: Arisso Marinho/ Ag. A TARDE

O Ilê Aiyê vai comemorar o seu aniversário de 37 anos do jeito que gosta: festa e celebração às suas raízes. O show será no dia 1º, com a participação de João Bosco, na Senzala do Barro Preto, Curuzu.

Logo depois tem cortejo pelas ruas da Liberdade.

A festa, que vai começar às 22 horas, tem ainda a participação do grupo Samba das Moças. O ingresso custa R$ 20, R$ 40 e R$ 50. 


Balaio de Ideias: Ederaldo, por gentileza

postado por Cleidiana Ramos @ 12:21 PM
25 de outubro de 2010

Quem gosta de boa música está com saudades de Ederaldo. Foto: Reprodução| Marco Aurélio Martins| Ag. A TARDE

Jaime Sodré

“Panela velha é quem faz comida boa”, mas, já me deliciei com tudo aquilo que o grande compositor baiano Ederaldo Gentil fez, quero as mais recentes “pérolas finas”. Se preciso, faria um “abaixo-assinado”, uma “emenda popular” com milhares de assinantes. Um instante maestro Luizão, quero mais Ederaldo.

Encontrei Luizão, sobrinho de Ederaldo. Precavido, o tio dera-lhe um cavaquinho intimando-o a entrar no “Clube do Samba”. Luiz guarda o cavaco e assume o rock com o “Cravo Negro” e “Penélope”. Mas não esquece o tio. Cobrei-lhe mais Ederaldo e com o auxilio luxuoso da erudita Fernanda Monteiro formaram o “Doisemum”, grupo habitante do bom gosto, mandou-me uma excelente gravação da canção “Compadre”, do tio.

Quem é Ederaldo? Capitulo máximo da historia da musica brasileira, “UM BAMBA”. Oriundo do quimbundo “mbanba”, na lingua do povo banto, significa muito bom,  excelente. “Bambambã e bamba” refere-se no Brasil a sambista virtuoso. Ederaldo nasceu a 7 de setembro de 1943, no largo Dois de Julho, um dos filhos de D. Zezé e “Seu” Carlos, competente relojoeiro, oficio transmitido ao sambista.

Mudou-se para o Tororó,  reduto do samba e carnavalesco, do Apache, Filhos do Tororó, dentre outros. O gosto pelo carnaval fora alimentado pelo pai nos bailes a fantasia. Participara da bateria da escola tomando gosto pelo samba, estimulado por “Seu” Arnaldo presidente. Daí foi para a ala dos compositores, tendo os seus sambas entoados na quadra. A vida não era fácil, arriscou o futebol na posição de meia-esquerda do Guarany, e a treinar no Vitória.

A musica falava mais alto, nisso ele era competente. Vencera o concurso municipal do carnaval com a musica “Rio de Lagrimas”, ganhara por três anos. Em 1967 vence na quadra dos Filhos do Tororó com “Dois de Fevereiro” e ouvia seus sambas na boca do povo, afasta-se da escola e compõe samba-enredos para outras. Chegara a hora de tornar-se nacional, entra no espaço da MPB nos anos setenta, através das canções “Berequetê” e “Alô Madrugada” com Edil Pacheco, excelente compositor baiano, na voz de Jair Rodrigues. Aproxima-se de Alcione, Eliana Pittman, Leny Andrade o Conjunto Nosso Samba.

Em 1972 vai para São Paulo na tentativa de gravar um disco próprio e participar de programas de Tvs. Sem sucesso, retorna a Bahia, acolhido pela família e amigos, reassume o oficio herdado do pai, e reaproxima-se da sua escola de Samba, faz as pazes e premia a Bahia com um sensacional samba-enredo, “In-Lê-In-Lá”, em homenagem aos cinqüenta anos de Mãe Menininha, em parceria com Anísio Felix,  samba que mais tarde gravaria, abandona a produção de sambas nesta categoria.

A gravadora Chantecler, reconhecendo o seu valor, o convoca a São Paulo, gravando um compacto simples com a genial e filosófica “O Ouro e a Madeira” (O ouro afunda no mar, madeira fica por cima, ostra nasce do lodo, gerando pérolas finas) e “Triste Samba”. A primeira recebe uma outra gravação, pelo grupo Nossa Samba, acompanhante de Clara Nunes. Como diria hoje “bombou”.

Sucesso nacional, nova gravação com a mesma gravadora, desta feita o seu primeiro LP, em 1975 surge o “Samba Canto Livre de Um Povo”. Este poderia hoje, ser editado em CD. Lança outro LP “Pequenino”, numa esmerada produção com o acompanhamento de músicos e maestros primorosos. Carreira segue consagrada, retorna a Salvador, aos seus shows, alguns acompanhei na bateria. Em setenta nasce com Batatinha o show “O Samba Nasceu na Bahia”, glorioso.

Apesar da qualidade da sua obra, fica anos sem gravar e resolve enfrentar gravando um disco independente com ajuda de amigos, chamado “Identidade”. Generoso, na contra capa do disco cita todos os colaboradores.

Aos poucos, esquecido pela mídia e gravadoras, passeava pelo Pelourinho, ouvindo na voz de outros a sua música, ao tempo em que não o reconheciam. Desanimado, recolhe-se na Vila Laura. Vieram as homenagens, mas compositor maior permanece recolhido no carinho dos seus. Ederaldo, O Gênio, por gentileza, o Brasil te convoca, para perfumar a sonoridade nacional.

Jaime Sodré é historiador, professor universitário e religioso do candomblé


Retificando

postado por Cleidiana Ramos @ 5:25 PM
16 de outubro de 2010

Peço desculpas a vocês por um probleminha com o vídeo que postei anteriormente. Fica então Toneladas de Desejo, mas com as vozes de Carlinhos Brown e Marisa Monte.


Ao som da Timbalada

postado por Cleidiana Ramos @ 11:07 AM
15 de outubro de 2010

Para aguardar a esperada chegada do sábado e do domingo fiquem com Toneladas de Desejo da Timbalada, ainda com as vozes de Xexéu e Patrícia. Tempos inesquecíveis do comecinho da banda que revolucionou a música baiana com a sua mistura de timbaus a outros instrumentos, criação do maestro Carlinhos Brown.


Domingo tem Áfricas com ingresso a R$ 1

postado por Cleidiana Ramos @ 2:18 PM
14 de outubro de 2010

Áfricas mostra toda a riqueza da herança africana. Foto: Márcio Lima | Divulgação

Programa legal para unir pais, tios e a garotada. No próximo domingo tem a encenação da peça Áfricas do Bando de Teatro Olodum na sala principal do Teatro Castro Alves ( TCA). O ingresso custa apenas R$ 1, iniciativa do projeto Domingo no TCA, que funciona desde 2007.

O espetáculo começa às 11 horas, com venda de ingressos a partir das 9 horas. Áfricas gira em torno da herança africana, em seus vários níveis e que é uma marca da Bahia.


No embalo do Ilê

postado por Cleidiana Ramos @ 7:17 PM
8 de outubro de 2010

Amanhã tem festa na Senzala do Barro Preto a partir das 22 horas. A Band´Aiyê recebe como convidados o cantor e compositor Neto Bala e o grupo Samba das Moças. Os ingressos custam R$ 10 (pista) e R$ 30 (camarote).

E para entrar no clima curtam aí uma preciosidade: o clipe de  O Mais Belo dos Belos, interpretada por Daniela Mercury. O vídeo é de 1992.

O clipe me deixou num estado de nostalgia, pois lembrei, acreditem, da minha passagem pelo convento (pra quem ainda não sabe fui quase freira).

Costumava cantar essa música enquanto lavava panelas à noite . Eu fiquei um tempão sem saber que a minha performance era a diversão das irmãs . E mais: naquele tempo nem imaginava que ainda subiria a Ladeira do Curuzu ao som da  Ilê, uma experiência indescrítvel.


Para embalar o final de semana cidadão

postado por Cleidiana Ramos @ 3:34 PM
1 de outubro de 2010

A letra de É Hoje me encanta por sua simplicidade bela. A melodia também é um achado. Neste vídeo a performance de Caetano Veloso é inigualável. Divirtam-se e reflitam bem sobre o voto deste domingo.


Grupos afro celebram Revolta dos Búzios

postado por Cleidiana Ramos @ 5:31 PM
29 de setembro de 2010

Conen é uma das entidades que participa do movimento de amanhã. Foto: Luciano da Matta | Ag. A TARDE| 18.11.2005

Amanhã, a partir das 16 horas, com concentração no Campo Grande, tem festa por conta dos 212 anos da Revolta dos Búzios.

Além de religiosos de matriz africana e representantes das entidades do movimento negro organizado, o evento vai ser embalado pelas bandas do Olodum, Malê Debalê, Os Negões, Muzenza, Cortejo Afro, Okambí, Afoxé Filhos do Congo e Ilê Aiyê.

A organização tem o apoio, além desses grupos culturais afro, da Unegro, Coletivo de Entidades Negras (CEN), MNU, Cordenação Nacional de Entidades Negras (Conen) e Instituto Pedra do Raio.

As principais reivindicações do evento são:  liberdade religiosa, cultura de paz, financiamento público e privado da cultura afro-brasileira, ações para a operacionalização da da Lei 11.645/08, que inclui nos currículos escolares o ensino de História da África, Cultura Afro-brasileira e História e Cultura Indígenas, ações afirmativas na saúde, saneamento básico, emprego e renda, moradia e educação.

A Revolta dos Búzios, ocorrida em 1798, foi um dos mais avançados movimentos em defesa da cidadania. Seus líderes, todos negros, foram mortos pelo poder político da época.


Câmara Municipal celebra os 30 anos do Ara Ketu

postado por Cleidiana Ramos @ 8:11 PM
20 de setembro de 2010

Bloco Ara Ketu festeja seus 30 anos. Foto: Xando Pereira|Ag. A TARDE| 25.02.2006

Amanhã tem sessão especial na Câmara de Salvador para celebrar os 30 anos do bloco Ara Ketu. A cerimônia será às 19 horas e foi proposta pela vereadora Olívia Santana (PCdoB).

O Ara Ketu foi fundado em 8 de março de 1980 por moradoes de Periperi. No início tinha a percussão como base musical. A partir de 1989 surgiu a banda Ara Ketu com instrumetnos de sopro, bateria e teclado para acompanhar o som.

Em 1997 surgiu oInstituto Ara Ketu que realiza as ações sociais do bloco.        


Moda, feijão e festa

postado por Cleidiana Ramos @ 2:53 PM
10 de setembro de 2010

Jorge Washington vestindo criação de Madá. Foto: Haroldo Abrantes | Ag. A TARDE | 13.11.2009

Tem mais uma edição amanhã da mistura de moda, festa e feijão que todos os anos é promovida pela estilista Madá Preta, criadora da  Negrif. Aliás, essa ideia super legal de moda afro só está crescendo: além de Madá,  tem Goya Lopes, Saraí Reis, Jamile Sodré, dentre outras.

O mais legal do que é produzido pela galera é que a gente encontra roupa com a nossa cara e o nosso jeito e em tamanhos que se adequam ao corpo de cada um ou uma de nós. Beleza pura.

A festa de Madá será no 155 Bar e Restaurante, localizado na rua Euricles de Matos, Rio Vermelho. Para chegar vai aqui a dica: depois de Dinha do acarajé tem uma quadra e após essa quadra (sentido Ondina), tem uma curva, chamada Curva da Paciência. A rua Euricles de Matos é a que dá acesso ao viaduto da Garibaldi. Na esquina fica uma loja chamada Visual Vidros.

Vale lembrar que além das criações de Madá tem a de outros expositores. A entrada é R$ 5 para quem vai apenas ver o show com as atrações Partido Popular, Banda Naveiadanega e convidados, e R$ 10 para os interessados em pegar também a feijoada, que é a maioria, imagino. A festa começa às 11 horas.


No embalo da Revolta Olodum

postado por Cleidiana Ramos @ 2:06 PM
3 de setembro de 2010

Olodum se destaca pela batida e repertório social. Foto: Margarida Neide | Ag. A TARDE| 24.02.2004

O Olodum tem feito um belíssimo trabalho para resgatar a história de resistência negra como Búzios. Então, para embalar o final de semana está aqui um vídeo com a música Revolta Olodum que fala de vários movimentos sociais ocorridos no Nordeste. É só clicar no vídeo aí abaixo.


Homenagem ao talento de Tiganá

postado por Cleidiana Ramos @ 1:59 PM
23 de agosto de 2010

A arte de Tiganá Santana recebe uma bela homenagem. Foto: Marco Aurélio Martins| AG. A TARDE

Confiram aqui abaixo, o belo texto escrito pelo jornalista Marlon Marcos sobre o talento de Tiganá Santana, cuja carreira, vai de vento em popa e, com certeza, sob as boas perspectivas de crecscimento:

Há um lugar que serena a alma e nos faz compreender a vida como caminho, veículo, dádiva; nos leva para dentro do sentido que não se explica e se ouve para sentir.

Um lugar marcado de poesia e movimentado por sonorizações que abrandam a confusão do dia a dia porque nos lota de silêncio… Nos alimenta em nossa miudeza e nos faz alcançar os verdadeiros Senhores do nosso destino.

Um lugar que aveluda a audição e ensina.

Seria só a tradução da desgastada palavra paz se ali também não estivesse uma certa agonia: a que nos chega frente à forma da grande criação. Um lugar empreendido pela segurança das águas e da lama e que apoia feito chão; verdeja e frutifica nossa vontade de viver.

Um lugar não-lugar que sintetiza a arte e ventila a natureza humana: a voz sagrada de um homem encoberto em lições e que aceita…

Nossa África que se fez Bahia e é nórdica, árabe, ameríndia, japonesa e quem sabe? É plutônica e marciana, de fato, é universal…

O lugar música que corporifica a beleza de um artista em sua missão de louvar a quem se deve e nos convidar a isso através de canções.

O lugar Tiganá Santana.


A saudosa voz de Roberto Ribeiro

postado por Cleidiana Ramos @ 5:56 PM
6 de agosto de 2010

Para embalar o final de  semana e o começo da nova fica aí a beleza da canção Todo Menino é um Rei, na voz igualmente bela do saudoso Roberto Ribeiro. O clipe é de 1978 e foi apresentado no Fantástico.


O embalo de Beija Flor

postado por Cleidiana Ramos @ 6:33 PM
16 de julho de 2010

Para embalar o fim de semana, curtam o vídeo com  Carlinhos Brown, Daniela Mercury e Timbalada cantando  Beija Flor, um dos sucessos iniciais da banda.  O encontro é de 1993. Já virou nostalgia para quem tem mais de 25 anos.


Até mais, África do Sul

postado por Cleidiana Ramos @ 2:58 PM
11 de julho de 2010

A Copa do Mundo chegou ao fim. Não deu para o Brasil e para nenhuma seleção africana, mas valeu porque a África do Sul conseguiu organizar, a despeito de vários preconceitos e suspeitas, o maior espetáculo esportivo do mundo.

Também vão ficar para sempre registradas a alegria dos Bafana Bafana com suas danças antes de entrar em campo ou na comemoração dos gols, assim como a alegria contagiante da seleção  de Gana.

Para fazer uma homenagem ao país sede vai aqui um vídeo de um concerto feito por Paul Simon no Zimbábue na década de 80 com o belíssimo hino sul africano, cantado nos vários dialetos  do país numa lição de solidariedade e de promessa de jamais voltar a ser a terra de algo tão brutal como o apertheid.


Afrosambajazz no TCA

postado por Cleidiana Ramos @ 2:23 PM
7 de julho de 2010

Sucessos de BAden Powell ganham nova leitura em show e CD. Foto: Divulgação

Quem gosta de música precisa anotar o dia 23 de julho na agenda. Nesta data, às 21 horas, vai acontecer no Teatro Castro Alves (TCA), em Salvador, o Afrosambajazz. O show é reultado do CD homônimo que apresenta afrosambas compostos por Baden Powell.

O CD, que saiu com o selo Biscoito Fino, foi produzido por Mario Adnet e Philippe Baden Power, mesclando temas conhecidos e obras inéditas.

No show as canções ficam por conta de Mario Adnet (direção, violão e voz); Philippe (piano e voz); Marcos Nimrichter (piano elétrico e acordeom); Jorge Helder (baixo acústico); Jurim Moreira (bateria); Armando Marçal (percussão), dentre outros. A apresentação vai contar também com a participação da cantora Mônica Salmaso.

Os ingressos já estão à venda e custam R$ 30 (inteira).


Tem samba junino

postado por Cleidiana Ramos @ 6:48 PM
22 de junho de 2010

Aloísio Menezes é uma das atrações do samba junino. Foto: Vinicios Lima / Divulgação

Quem ainda não conhece o samba junino pode anotar na agenda. Mesmo com o forró ditando o ritmo tem Ilê Aiyê, Aloísio Menezes, Viola de Doze, Gal do Beco, Samba de Cozinha, Sambrasil ,Gang é e Bambeia, dentre outras atraçoes (um total de 50) amanhã e depois na Lima e Silva, a principal rua do bairro da Liberdade em Salvador. A festa que reúne tantos bambas é o Junho da Liberdade.

Além da apresentação num palco armado na Praça Nelson Mandela, que fica em frente ao Plano Inclinado, haverá um desfile pelas ruas do bairro. A festa amanhã começa a partir das 16 horas e na quinta-feira às 18 horas.

O objetivo do evento é resgatar a cultura do samba junino que viveu seu auge na década de 80 e fortalecer a economia do bairro, pois a população do entorno costuma vender bebidas e comidas durante essa festa.


Uma bomba para aquecer o final de semana

postado por Cleidiana Ramos @ 2:45 PM
30 de abril de 2010

A seção de vídeos musicais voltou.  Resolvi colocar um que daqui a poquinho vira cult para quem era adolescente nos anos 90: trata-se do clip de  Uma Bomba, sucesso da banda Bragaboys.  O grupo tinha músicas que passeavam do samba reggae ao ritmos latinos, como é o caso da música apresentada no vídeo.

Uma Bomba foi uma espécie de Rebolation da época. Das festas às academias de ginástica tornou-se onipresente.

Não tinha quem não soubesse pelo menos ensaiar alguns desses passos. A diferença é que no lugar de um sexy symbol, como Léo Santana da Parangololé, a Bragaboys tinha três. Tá aí para quem quiser matar a saudade e rir da moda dos anos 90.


Resultado da II Promoção Cultural

postado por Cleidiana Ramos @ 6:42 AM
27 de fevereiro de 2010

Dadá Marques é o vencedor da II Promoção Cultural do Mundo Afro. Das indicações apresentadas, a dele foi a única que melhor se aproximou do pedido que foi feito.

Eis a resposta de Dadá: os três alabês são; Litinho, 55 anos, Deco, 27 anos e Roberto, 25 anos – todos do Terreiro Ilê Axé Opô Aganju, em Lauro de Freitas, do babalorixá Balbino Daniel de Paula. 

Embora o Aganju fique em Lauro de Freitas, considerei a resposta, afinal é também Região Metropolitana de Salvador (RMS). Parabéns a Dadá e fico aguardando o seu endereço para enviar o brinde que é  o CD Tributo à Ancestralidade, produzido por Jaime Sodré e Carlos Maguari.

O outro exemplar  fica guardado para um novo sorteio e prometo que vou pensar em uma fórmula de incluir os leitores do Mundo Afro também de outras cidades.  


Balaio de Ideias: Lazzo I, o Magnífico

postado por Cleidiana Ramos @ 2:58 PM
24 de fevereiro de 2010

Professor Jaime Sodré sugere Lazzo como Rei Momo 2011. Foto: Divulgação

Jaime Sodré

Como sempre acontece no pós-Carnaval, a promessa é sempre começar a visulumbrar atitudes e mudanças para o próximo, enquanto procuro entender as vazantes de dois rios que parecem não se cruzar: um, caudaloso, pensando o Carnaval como uma atividade de negócios; o outro pensando o espaço da folia como oportunidade de expor aos olhos de muitos as suas qulidades culturais, apostando no direito à diversão e estímulo à estima. Negócios não são maléficos, o comércio também fez parte dos contatos milenares entre os povos. O que fico a meditar é sobre a razão de estes dois rios não se cruzarem.

Patrocínios para uns, negação para outros. Consumidores em maioria, somos esquecidos quando se trata de blocos afros ou personalidades musicais negras em busca da chancela comercial. Desde o ritual da manhã até o anoitecer estamos lidando com produtos os mais diversos, porém isso não sensibiliza as empresas, nem ao menos uma simples pasta dentrifrícia lembra-se que escovamos os dentes, ou não? Sabões, detergentes, desodorantes comprometidos com o asseio e limpeza não patrocinam ao menos a Lavagem de Itapuã, manifestação de asseio físico e espiritual.

No Carnaval o governo atende com um oportuno aparato financeiro aos blocos afros, com o programa Ouro Negro. Em boa hora, mas não basta, necessita-se de recurso privado, até porque ao governo cabe empregar os nossos recursos não só na folia, temos a saúde, escola, seguraça etc, para cuidar.

Mas, enquanto estudava a economia do Carnaval no âmbito da indústria cultural, na boa monografia de Bruna Silva e nos dados sobre os custos dos abadás e similares, elaborado pela Prof. Lúcia Maria, buscando compreensão e luz, não vi Lazzo Matumbi passar com o seu bloco Coração Rastafari, fundado, em 1998, com o objetivo de criar um espaço para o reggae no Carnaval. Bloco que saía sem corda e seguindo os conceitos de paz, igualdade e respeito. Lazzo, dono de uma voz privilegiada, um artista completo, um dos mais e merecidos aclamados cantores da comunidade baiana, não desfilou, problemas com patrocínio, ou de quem não reconhece neste astro uma oportunidade de atrelar os seus produtos a uma estrela ímpar.

Recordo de um artista negro sobre um trio, o dançarino Sebastian, recomendando um grande magazine. Aguardo ainda um bom anúncio da nossa (diva) Margareth Menezes, em tempos de Beyoncé. Questionava-me uma mulher afrodescendente não visualizar semelhante, nem em anúncios de absorventes. Será que mulher negra não menstrua? Indagava, satirizando, claro.

Em 1959 o radialista Edmundo Viana e o jornalista Silva Filho colocaram o inigualável Ferreirinha, motorista da Sutursa, como rei Momo, ficando na função até 1988. Desfilava em carro alegórico do Campo Grande até a Praça Municipal, recebia a chave da cidade e hospedava-se no Hotel da Bahia.

Em 1990 aconteceu o primeiro concurso para a eleição do Momo. Salvador assiste na contemporaneidade a um novo processo de escolha do rei. Tivemos o Rei clarindo Silva, polêmico, inusitado, que, seguindo a tradição histórica, recebe o epíteto de Clarindo I, ” O Quebrador de Paradigmas”. Situação interessante, inagurou-se a presença do “magro” nos dias “gordos” de Carnaval. Segue-se Gerônimo I “O Filho de Oxum”. Até há poucos dias estávamos sob as ordens de Pepeu Gomes I, “O Discreto”, magistral guitarrista que não se fez acompanhar da rainha e princesas do Carnaval, ao que me parece.

Ainda seguindo as prerrogativas históricas, “antes que algum aventureiro ponha a mão na coroa carnavalesca”, permitam-se pleitear para 2011, a posse de Lazzo Matumbi I, “o Magnífico”. Requisitos históricos ligados ao Carnaval não lhe faltam, somado ao fato de ser um dos primeiros cantores do Ilê Aiyê e, com certeza, a cor desta cidade é também dele. Porte, elegância e nobreza estão ali. Espero estar cumprindo a vontade de muitos: nós, súditos de vossa majestade, rogamos que aceite concorrer. Em sendo eleito, com aquele vozeirão, cante de cima do trio, para todos: “Vem correndo me abraça e me beija”, em tom de reparação.

Professor universitário, mestre em História da Arte, doutornado em História Social e religioso do candomblé


Parabéns para a Secult

postado por Cleidiana Ramos @ 8:29 AM
16 de fevereiro de 2010

Objetivo central do projeto Ouro Negro é dar visibilidade a agremiações como o Muzenza. Foto: Fernando Vivas | AG. A TARDE

A gente destaca, geralmente, os erros dos governos, mas é questão de justiça dar os parabéns à equipe da Secretaria Estadual de Cultura (Secult) pelo bom trabalho no Carnaval.

O programa Ouro Negro, como tudo, pode ser aperfeiçoado, mas deu um novo gás para as entidades afro de vários formatos.

A programação de trios independentes financiados pela secretaria também deu visibilidade à diversidade oferecendo desde música eletrônica até reggae e samba.

Num Carnaval, que cada vez mais cai na mesmice, a iniciativa da Secult é um sopro de novidade.


A despedida do Ilê Aiyê e dos afoxés

postado por Cleidiana Ramos @ 8:11 AM
16 de fevereiro de 2010

O desfile do afoxé Filhos de Gandhy sai hoje do Pelourinho. Foto: Eduardo Martins | AG. A TARDE

A festa no Circuito Batatinha (Centro Histórico) começa às 15 horas com o Filhos de Olorum. Em seguida vem o encerramento do Carnaval do afoxé Filhos de Gandhy.

Tem ainda destaques como o Korin Efan, às 16h20, e o Okanbí, comandado por Jorjão Bafafé, que sai às 18h20.

É um bom aquecimento para a última passagem do Ilê Aiyê este ano, a partir das 19h40 e de Os Negões logo em seguida.


Olodum, Commanche e Apaches

postado por Cleidiana Ramos @ 8:06 AM
16 de fevereiro de 2010

O Olodum encerra seu Carnaval homenageando a África do Sul. Foto: Fernando Vivas | AG. A TARDE

A partir das 19 horas, o Olodum desfila com sua homenagem à África do Sul, encerrando o seu Carnaval no circuito Campo Grande-Avenida (Osmar).

Vale também apoiar a luta de resistência dos blocos de índio. O Commanche sai às 20h30, seguido pelo Apaches do Tororó.

A última noite do mais antigo circuito do Carnaval baiano tem ainda o Muzenza, a partir das 22h10.


Quilombolasoul e A Mulherada

postado por Cleidiana Ramos @ 7:59 AM
16 de fevereiro de 2010

A Mulherada faz show hoje no Circuito Dodô. Foto: Thiago Teixeira | AG. A TARDE

O último dia de festa no Circuito Dodô (Barra-Ondina) tem o trio Quilombolasoul com Dão, DJ Bandido, Gerson King Combo e Samba Chula de São Braz. É mais um dos trios patrocinados pela Secretaria Estadual de Cultura (Secult).

No final da noite, a partir das 23h30 tem a A Mulherada.


Festa no Pelourinho

postado por Cleidiana Ramos @ 9:42 AM
15 de fevereiro de 2010

Nelson Rufino anima o bloco Pagodão do Caçote hoje no Batatinha. Foto: Gildo Lima | AG. A TARDE

A partir das 15 horas no Circuito Batatinha (Centro Histórico) tem o bloco Pagodão do Caçote com Nelson Rufino. Hora de sambar até o pé aguentar.

São tabém vários afoxés passando pelo circuito como o Filhos de Korin Efan, a partir das 16 horas.

Às 17h30 tem o Okanbí que é sempre bom de ver por conta das inovações sonoras que o mestre Jorjão Bafafé sempre produz.


Mais Carnaval Afro no Campo Grande

postado por Cleidiana Ramos @ 9:18 AM
15 de fevereiro de 2010

O Malê De Balê volta hoje à Avenida. Foto: Luciano da Matta | AG. A TARDE

O Ilê Aiyê faz o seu desfile no Campo Grande a partir das 18 horas. É um dia especial, pois o bloco passa mais cedo no circuito oficial.

Às 20h30 tem o Malê De Balê sempre bonito de se ver. Às 21h50 é a hora do Muzenza, seguido pelo Mundo Negro.


Gandhy abre o Carnaval na Barra

postado por Cleidiana Ramos @ 9:05 AM
15 de fevereiro de 2010

O Gandhy saiu ontem pela primeira vez no Carnaval 2010. Foto: Eduardo Martins | AG. A TARDE

A partir das 15 horas de hoje, o Gandhy, que começou seu Carnaval ontem, abre o Carnaval no circuito Barra-Ondina.

Outro destaque é o Trio do Reggae programado pra sair às 16h30 com Dionorina, Gilsan e Jorge de Angélica.

E para quem tiver um pouco mais de resistência a partir das 2h10 tem o trio Afro Pop com Margareth Menezes fechando o dia de festa no circuito.


Hoje tem afoxé no Centro Histórico

postado por Cleidiana Ramos @ 8:16 AM
14 de fevereiro de 2010

O Fihos de Gandhy durante a passagem pela Praça Castro Alves no Carnaval do ano passado. Foto: Fernando Vivas|AG. A TARDE

Todo mundo sabe a batalha que é para colocar os afoxés na rua, mas apesar das dificuldades eles dão um belo exemplo de resistência.

Hoje a partir das 16 horas uma das mais tradicionais destas agremiações, o Korin Efan, desfila trazendo não só a sua banda mas também o Bumba Boi de São Francisco do Conde e Taiz.

Em seguida é a hora do tapete branco do Filhos de Gandhy ser formado. Antes do desfile tem o tradicional ritual que pede licença às divindades do candomblé para que o Carnaval do afoxé aconteça de forma tranquila.


Afro Imagem: o show do Malê

postado por Cleidiana Ramos @ 8:12 AM
14 de fevereiro de 2010

Ontem foi dia de apresentação do Malê De Balê. No registro do repórter fotográfico Luciano da Matta, do Grupo A TARDE, a passagem do bloco pelo Campo Grande.


Afro Imagem: O Mais Belo dos Belos cumpre seu ritual

postado por Cleidiana Ramos @ 8:03 AM
14 de fevereiro de 2010

Pela primeira vez sem Mãe Hilda, o mais antigo bloco afro do Carnaval baiano, o Ilê Aiyê, cumpriu seu tradicional roteiro antes de ganhar as ruas e rezou por paz e tranquilidade. Um registro do desfile do “mais belo dos belos” pelas ruas da Liberdade foi feito pelo repórter fotográfico do Grupo A TARDE, Walter de Carvalho.